Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FALSIDADE DOCUMENTAL NOS PROCESSOS ELETRÔNICOS

Veja aqui a programação deste inédito treinamento programado para o dia 20/12 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

22/03/2012 - JC Online Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Falsificação de passe livre para deficientes é investigada pela polícia


Não só cartões de crédito e documentos de identidade são utilizados em crimes. O Vale Eletrônico Metropolitano (VEM) também pode ser fraudado. Investigação da Delegacia de Crimes Contra a Administração e Serviços Públicos (DECASP) constatou que muitos cartões que garantem a gratuidade da passagem de ônibus para deficientes são falsificados.

Em fiscalizações do Grande Recife Consórcio de Transportes, responsável pelo transporte coletivo na Região Metropolitana do Recife, foram apreendidas 300 unidades. Esses cartões foram encaminhados para o Instituto de Criminalística, que apresentou laudo apontando que a maioria dos passes apreendidos é fraudada. Ainda de acordo com a perícia, a falsificação acontece de diversas formas.

Há casos de cartões falsos que utilizam o mesmo material que os oficiais, PVC, mantendo também os contornos e a forma. Nesses, a foto geralmente é alterada. As investigações tentam descobrir se eles são feitos por algum grupo especializado. "Hoje em dia, em determinados lugares do Centro do Recife, por exemplo, você pode levar uma foto 3x4 e sair com um passe livre", apontou a delegada Ana Elisa Sobreira, responsável pela apurações.

Existem até aqueles em que, apesar de apresentar nome masculino, o VEM tem foto de mulher. "O que acontece é que as pessoas pedem para entrar pela porta traseira dos ônibus, mostrando a carteira de longe. Dessa forma, os cobradores não conseguem perceber a fraude. Mas eles já foram avisados para instensificar a fiscalização", disse a delegada.

Ainda há casos em que o Grande Recife tem prejuízo em dobro pela fraude. "Há mais carteiras vermelhas que azuis entre as que foram periciadas. Isto porque as vermelhas dão direito à gratuidade também de um acompanhante do deficiente", afirmou Ana Elisa Sobreira.

PRÓXIMOS PASSOS - Será feita uma triagem para verificar quantos cartões são falsificados entre os que foram encaminhados para o IC e quais são as modalidades mais comuns do crime. Depois, a polícia ouvirá essas pessoas. O objetivo é descobrir como elas chegaram ao passe e, mais ainda, se há algum esquema fraudulento envolvendo quadrilhas ou a participação de funcionários do consórcio.

De acordo com a delegada, outro destaque da fraude do passe livre para deficientes será investigado. Trata-se da participação de alguns médicos, que atestam deficiência em pessoas saudáveis para que elas consigam as carteiras.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 142 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal