Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


ÚLTIMOS TREINAMENTOS DE 2018 SOBRE FRAUDES E FALSIFICAÇÕES
Veja AQUI programação e promoções dos últimos treinamentos de 2018 da DEALL R&I
sobre Fraudes e Falsificações nos dias 14, 22 e 29 de novembro.


AFD SUMMIT
A maior Conferência de Investigação Corporativa & Perícia Forense da América Latina.
São Paulo dias 08-09 de dezembro de 2018


Acompanhe nosso Twitter

23/03/2012 - Webinsider / Agência O Globo Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Dados do FBI podem inocentar de funcionários de Madoff


Relatos de conversas de funcionários da empresa de investimentos de Bernard Madoff, responsável por uma das maiores fraudes financeiras realizadas em Wall Street, em 2008, foram, divulgados recentemente pelo FBI, segundo informou a Bloomberg, nesta sexta-feira.

Em uma conversa informal na mesa de um restaurante grego de Nova York, em 2006, os analistas de sistemas George Perez e Jerome O'Hara, que trabalhavam na empresa do investidor questionaram o diretor financeiro, Frank DiPascali, se Madoff cometia transações ilegais.

A resposta foi uma gargalhada, acompanhada da defesa de Madoff. A crônica do jantar e a conversa para convencer os funcionários de que a fraude bilionária do investidor era um negócio legítimo foram adicionados aos documentos judiciais, que comprovam a fraude, com entrevistas de Di Pascali, principal assessor de Madoff, que admitiu ser culpado pelo papel que exerceu na farsa, que ficou conhecida como Esquema Ponzi.

Di Pascali relatou ainda ao FBI que uma vez Perez e O'Hara perguntaram a Madoff, durante uma reunião no gabinete do chefe de operações da empresa, Daniel Bonventre, porque não havia nenhum sinal de transações na Bolsa feitas pela empresa. O investidor teria respondido: "Você não vai me dizer como administrar o meu negócio".

Bernard Madoff, 73 anos, se declarou culpado de fraude em 2009 e está cumprindo pena de 150 anos por enganar investidores da Bolsa. Os funcionários Pérez, O'Hara, Bonventre, Annette Bongiorno e Joann Crupi são acusados de serem cúmplices do golpe, mas o advogado de defesa disse que vai usar a declaração de Di Pascali para provar que seus clientes não tinham conhecimento do esquema.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 153 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Divulgação





NSC / LSI
Copyright © 1999-2018 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal