Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FALSIDADE DOCUMENTAL NOS PROCESSOS ELETRÔNICOS

Veja aqui a programação deste inédito treinamento programado para o dia 20/12 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

22/03/2012 - Revista Consultor Jurídico Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Bloqueio de contas bancárias da quadrilha estão sendo utilizadas


A Polícia Federal apreendeu, nesta quarta-feira (21/3), em Guarapuava (PR), documentos fiscais e contábeis, extratos bancários, veículos, cheques e dinheiro que serão úteis no inquérito policial federal que investiga uma quadrilha que adulterava combustíveis e sonegava tributos federais e estaduais.

Estão sendo executadas várias medidas judiciais cautelares de bloqueio de contas bancárias e de sequestro de bens móveis e imóveis em nome dos principais envolvidos e de empresas utilizadas para ocultação dos recursos obtidos com as práticas ilícitas.

Segundo a PF, a quadrilha praticou e vai responder pelos crimes de sonegação de tributos estaduais e federais em rede de postos de gasolina, adulteração de combustíveis, fraude à execução fiscal, blindagem patrimonial, ocultação de bens e direitos, além de possível evasão de divisas. O que a polícia apurou até agora é que o esquema criminoso era comandado por um núcleo familiar de Guarapuava.

Segundo o delegado Maurício Todeschini, em um mesmo estabelecimento foram encontrados documentos referentes a 20 empresas, ficando configurado o crime de constituir, na mesma cidade, em estabelecimentos diferentes, com alterações de endereço, em nome de supostos laranjas, com diferentes inscrições do ICMS e do CNPJ.

"Em dinheiro, cheques e notas promissórias foram apreendidos R$ 2 milhões. Várias pessoas estão sendo ouvidas no Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado (Gaeco) e na Polícia Federal, mas até agora ninguém foi preso", informou Todeschini. A polícia suspeita que o produto desses crimes cheguem a R$ 500 milhões.

Os crimes eram cometidos em rede de postos de combustível no Paraná, em Santa Catarina e em São Paulo. Cerca de 400 servidores, entre policiais federais, civis e militares e agentes da Receita Federal estão trabalhando na Operação Hidra, que deverá prosseguir até que sejam cumpridos os 93 mandados de busca e apreensão expedidos pela 2ª Vara Criminal de Guarapuava.

A quadrilha agia em Santa Catarina, São Paulo e, principalmente, no Paraná, no município de Guarapuava, a 250 quilômetros de Curitiba, base da organização criminosa. Com informações da Agência Brasil.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 307 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal