Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FALSIDADE DOCUMENTAL NOS PROCESSOS ELETRÔNICOS

Veja aqui a programação deste inédito treinamento programado para o dia 20/12 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

21/03/2012 - MidiaCon Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Quadrilha teria causado prejuízo de R$ 500 milhões, diz MP

Quadrilha com base no Paraná é suspeita de adulterar combustíveis. Ministério Público diz que rede de postos fraudava impostos.

A quadrilha suspeita de adulterar combustíveis, que é alvo da Operação Hidra da Polícia Federal deflagrada nesta quarta-feira (21), é comandada por uma família de Guarapuava, cidade do centro-sul do Paraná, segundo informações do Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público (MP) do Paraná. O Gaeco estima que a organização tenha causado um prejuízo de R$ 500 milhões aos cofres públicos em fraudes de sonegação de impostos através de uma rede de postos de combustíveis.

O MP chegou a pedir a prisão preventiva dos integrantes da quadrilha, baseado em provas recolhidas durante as investigações, mas a Justiça negou o pedido e os suspeitos devem responder aos crimes de fraude à execução fiscal, estelionato, sonegação de impostos, blindagem patrimonial, ocultação de bens e direitos e evasão de divisas, além de formação de quadrilha, falsificação de documentos e falsidade ideológica, em liberdade.

De acordo com o promotor Tadeu de Góes Lima, que acompanha o caso, o esquema ilícito começou em Guarapuava e já se estende por outras cidades do Paraná, Santa Catarina e São Paulo. "Esse esquema se valia de constituir empresas, pessoas jurídicas no nome, dos chamados, laranjas", comentou. Inicialmente, a suspeita é de que família abriu um posto de combustíveis e foram cadastrando novas empresas na Receita Federal, contudo constava o mesmo endereço.

"Constituíram um posto, ludibriavam a receita no cadastro nacional com a mudança em algum detalhe do mesmo endereço, para supor que os endereços eram diversos. Eles adquiriram produtos de uma empresa, não pagavam. Colocavam as empresas em nome de terceiros, sucessivamente e passaram a sonegar os impostos", explicou o coordenador do Gaeco, Leonir Batisti.

Segundo Batisti, algumas empresas vítimas de fraudes procuraram o MP e as investigações iniciais apontaram fraudes que iam além do estelionato."As investigações começaram através de inquéritos policiais em decorrência de crimes de estelionato, em 2006, e a partir de 2008, foi instaurado uma investigação criminal no Gaeco", afirmou Lima.

Nesta quarta, durante o cumprimento de 93 mandados de busca e apreensão foram apreendidos documentos, computadores, carros e caixas de bebibas alcóolicas contrabandeadas. Os documentos e o conteúdo das máquinas de informática devem contribuir como provas para as investigações do MP.

Os mandados de busca e apreensão, expedidos pela 2ª. Vara Criminal de Guarapuava, serão cumpridos em 16 cidades do Paraná, Santa Catarina e São Paulo. No Paraná, os mandados devem ser cumpridos, além de Guarapuava, em Curitiba, Imbituva, Londrina, Bandeirantes, Campo Mourão, Cascavel, Assis Chateaubriand, Marechal Cândido Rondon e Medianeira. Em Santa Catarina, nas cidades de Balneário Camboriú, Blumenau, Lages e Ponte Alta. Já em São Paulo, mandados serão cumpridos em Marília e Ourinhos.

Mais de 300 servidores da PF, Polícia Militar, Polícia Civil, Receita Federal e da Secretaria de Fazenda do Paraná trabalham no cumprimento dos mandados. Vários postos de combustíveis serão fiscalizados e a Polícia Federal espera cumprir prisões em flagrante no decorrer das operação.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 103 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal