Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FALSIDADE DOCUMENTAL NOS PROCESSOS ELETRÔNICOS

Veja aqui a programação deste inédito treinamento programado para o dia 20/12 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

01/03/2012 - Portal Terra Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

MPF quer devolução da carteira de 41 advogados por fraude na OAB

Por: Mirelle Irene


Acusados de participação em fraude no Exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), na seccional de Goiás, 41 advogados que fizeram a prova em dezembro de 2006 podem ter que devolver suas carteiras, caso a Justiça julgue procedentes 14 ações civis públicas protocoladas pelo Ministério Público Federal em Goiás (MPF/GO). Eles são acusados de comprar as aprovações no exame, que naquele ano ainda não era feito de maneira unificada em todo o País.

Nas ações, além da devolução dos documentos, o procurador da República Helio Telho Corrêa Filho pede a nulidade do concurso e que a seccional da OAB de Goiás exclua os envolvidos dos seus quadros e cancele as suas inscrições. O MPF ainda cobra a condenação dos réus ao pagamento de indenização por danos morais difusos, em valores que são dez vezes maiores que os pagos indevidamente pelas aprovações conseguidas por fraude. Segundo nota do MPF, nas 14 ações, o valor das indenizações por danos morais totaliza R$2,6 milhões.

Em 2006, os candidatos teriam pago até R$ 15 mil pela aprovação no Exame de Ordem a uma quadrilha de oito pessoas que seria comandada pela secretária da Comissão de Estágio e Exame de Ordem, Maria do Rosário Silva, e as advogadas Rosa de Fátima Lima Mesquita e Eunice da Silva Mello. Entre as fraudes estaria a substituição dos cartões de respostas da prova objetiva dos candidatos por cartões falsos, preenchidos por Maria do Rosário com respostas certas. Também haveria a revelação antecipada das questões das provas prático-profissionais para candidatos beneficiados pelo esquema.

Segundo o procurador Helio Telho, "cabia à OAB/GO zelar pela confiança do cidadão, em geral, e do consumidor dos serviços advocatícios, em particular, na competência técnica dos advogados goianos, excluindo os fraudadores de seus quadros e minimizando, assim, os danos sofridos".

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 156 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal