Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

27/09/2007 - Folha de São Paulo Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Força Tarefa prende 28 acusados de fraudar auxílio-reclusão do INSS


A Força Tarefa Previdenciária prendeu nesta quinta-feira, na Paraíba, 28 pessoas acusadas de formar uma quadrilha especializada em fraudar benefícios de auxílio-reclusão, pago aos dependentes do trabalhador de baixa renda preso. A quadrilha atuava em diversos municípios paraibanos e causou prejuízo de R$ 3 milhões.

Fiscais do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), policiais federais e representantes do Ministério Público, integrantes da Força Tarefa, cumpriram 33 mandados de busca e apreensão de documentos nas casas e escritórios dos suspeitos.

A Operação Cárcere, desencadeada na madrugada de hoje, começou a ser preparada em junho, quando os técnicos verificaram um crescimento anormal no número de auxílio-reclusão na agência da Previdência em Catolé do Rocha.

Entre 2003 e 2006, foram concedidos 108 benefícios no município de apenas 27 mil habitantes, enquanto em Pombal outro município da região, com 33 mil habitantes, foram concedidos apenas nove auxílios-reclusão. Em João Pessoa, que tem 600 mil habitantes, foram apenas 102 no período.

Foram feitas prisões e apreensão de documentos em Catolé do Rocha, Pombal, Souza, Cajazeiras, Teixeira, Brejo dos Santos e em João Pessoa. Entre os 28 presos está o chefe do serviço de benefícios da agência do INSS em Catolé do Rocha e um advogado, suspeito de ser o chefe da quadrilha.

Na operação, os policiais prenderam também uma pessoa por porte ilegal de arma. O gerente do INSS em Campina Grande, responsável pelos postos da Previdência naquela região, Francisco Roberto de Souza Marques, informou que vai abrir inquérito administrativo e demitir o servidor preso na operação.

A Força Tarefa descobriu que a quadrilha tinha colaboradores em maternidades, que falsificavam a declaração de nascido vivo de filhos fictícios de presidiários, previamente aliciados pela quadrilha. Com esse documento, a quadrilha fazia o registro civil do suposto filho dos presidiários e pleiteava o auxílio-reclusão. As informações são do gerente do INSS em Campina Grande, Francisco Roberto de Souza Marques, o superintendente da Polícia Federal na Paraíba, Francisco Leônidas, e o delegado Derly Brasileiro, da Polícia Federal. O delegado informou que 109 policiais participam da operação.

Balanço

A Força Tarefa já prendeu, neste ano, 97 acusados de fraudes contra o INSS e cumpriu 108 mandados de busca e apreensão. Isso sem contar o resultado inicial da operação de hoje. O INSS estima que a ação da Força Tarefa resultou em economia mensal de R$ 3,6 milhões com a cessação de benefícios, que vinham sendo pagos ilegalmente.

Também nesta quinta-feira, policiais federais da Deleprev (Delegacia de Repressão a Crimes Previdenciários) de São Paulo deflagraram a Operação Hipocondria, com objetivo de desmontar uma quadrilha que fraudava o INSS com emissão de atestados médicos falsos e sua utilização para a obtenção de auxílio-doença.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 353 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal