Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


ÚLTIMOS TREINAMENTOS DE 2017 SOBRE FRAUDES e DOCUMENTOSCOPIA

Veja aqui a programação dos últimos treinamentos sobre Falsificações e Fraudes Documentais (16/11) e sobre Prevenção e Combate a Fraudes em Empresas (30/11).

Acompanhe nosso Twitter

23/02/2012 - JB Online Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Vaticano responde a acusações de corrupção


Representantes da Sala de Imprensa do Vaticano emitiram dois comunicados esclarecendo acusações de corrupção feitas pelos jornalistas italianos Gianluigi Nuzzi, no programa “Gli Intoccabili”; e Angela Camuso, autora do artigo “Riciclaggio, quattro preti indagati: I silenzi del Vaticano sui controlli”, publicado no último dia 8.

Os jornalistas acusam o governo depois terem acesso a uma suposta carta enviada pelo secretário geral de governança para o papa Bento XVI, reclamando de ações de corrupção e desperdício de dinheiro, que levaram a prejuízos nas contas públicas da cidade-estado.

A Sala de Imprensa negou todas acusações que, segundo a suposta carta, envolviam membros do governo e do IOR (Instituto para as Obras Religiosas), que fiscaliza e administra patrimônios doados à Santa Sé.

O comunicado afirma ainda que o artigo representa “uma notável falta de seriedade” e que “as informações divulgadas no programa não representam a verdade”. O documento esclarece cada ponto abordado pelos jornalistas, e responde apresentando dados e explicações já dadas à Justiça Italiana.

Segundo o documento, o “efeito difamatório das acusações é resultado do uso do termo ‘incriminado’ em relação ao Presidente da IOR, Ettore Gotti Tedeschi, e o Diretor Geral, Paolo Cipriani. Nem um, nem o outro jamais foram incriminados, apenas prestaram esclarecimentos perante a justiça italiana”, conclui.

Leia parte do comunicado:

"Além disso, o artigo não diz que, a partir dos anos 2006-2007, o IOR está se esforçando com determinação na análise das contas e na verificação de seus clientes para acertar e descobrir a eventualidade de ações suspeitas. O artigo curiosamente preferiu ignorar este esforço do IOR.

A IOR tem cooperado repetidamente com às Autoridades Italianas em todos os níveis. Vale destacar que o IOR sempre forneceu as informações necessárias, até fora dos canais formais. Os fatos mostram que a transmissão (que acusa o Vaticano de corrupção) resulta parcial e não contribui para um quadro objetivo da realidade"

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 298 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal