Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


ÚLTIMOS TREINAMENTOS DE 2017 SOBRE FRAUDES e DOCUMENTOSCOPIA

Veja aqui a programação dos últimos treinamentos sobre Falsificações e Fraudes Documentais (16/11) e sobre Prevenção e Combate a Fraudes em Empresas (30/11).

Acompanhe nosso Twitter

14/02/2012 - Surgiu Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

MPF/TO ajuíza três denúncias por uso de documentos falsificados

Autorização de viagem, guia de recolhimento e documentos pessoais falsificados são as causas.

O Ministério Público Federal no Tocantins (MPF/TO) denunciou quatro pessoas em três ações penais por uso de documentos falsos perante órgãos federais. Autorização de viagem de turismo, guia de recolhimento para recebimento de recurso na Justiça do Trabalho e documentos pessoais, como registro de identidade e CPF, falsificados são os objetos das denúncias. Os crimes foram praticados perante falsificação de documento público e falsidade ideológica.

Falsificação de documento público - Uma das peças acusatórias narra que Nilton Bezerra Ramos e Mario Onilton Bezerra Ramos, em 2006, fretaram micro-ônibus e conseguiram autorização de viagem de turismo da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) para trajeto de ida e volta de Brasília-DF/Barra do Corda-MA. Contudo, fiscalização de rotina da Polícia Rodoviária Federal (PRF) em Araguaína constatou que a relação nominal dos passageiros não era verdadeira, o que gerou investigação. O inquérito policial esclareceu que o real objetivo da viagem seria o “transporte de linha” e, por isso, os passageiros do trajeto de ida não eram os mesmos do retorno.

Em outra denúncia, o empresário Cassimildo Ferreira Dias é acusado de falsificar guias de recolhimento de depósito recursal e custas processuais com o objetivo de receber recurso interposto perante o Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região. O empresário foi alvo de ação trabalhista e condenado a pagar verbas rescisórias. Para impetrar recurso, o denunciado teria efetuado pagamento de FGTS e Guia de Informações a Previdência Social no valor de R$ 4 mil e custas processuais de R$ 80,00.

Assim, o trabalhador que ganhou a causa pediu a liberação do valor, em que obteve resposta da Caixa Econômica Federal de que as guias de recolhimentos apresentadas não seguiam o formato padrão da CEF e não foram localizadas nos sistemas de autenticação e estornos. O denunciado foi então indiciado indiretamente já que as tentativas de contato com ele para esclarecimentos sobre falsidade documental não tiveram sucesso.

O MPF/TO requer a condenação dos acusados nas penas previstas às condutas tipificadas nos artigos 297, que dispõe sobre falsificação de documentos públicos, combinado com 304 do Código Penal.

Falsidade ideológica - A outra denúncia proposta pelo MPF/TO é contra Cícero Possidônio Torres, que é acusado de utilizar documentos pessoais ideologicamente falsos. A ação penal é baseada em inquérito policial originado a partir de informação que chegou à Polícia Federal de que o denunciado seria procurado pela Justiça do Estado de Pernambuco e morava em Araguaína, fazendo-se passar por outra pessoa, o que foi confirmado pelas investigações.

Segundo o inquérito policial, Cícero Torres fugiu de Pernambuco depois de ter feito documentos novos em nome de um parente falecido. A Polícia Federal apreendeu com ele documento de identidade, CPF, carteira de habilitação, cartões de bancos e carteira do SUS ideologicamente falsos. O denunciado teria ainda aberto empresas e feito financiamentos de dois caminhões, além de conseguir registro de três armas de fogo com os documentos falsos.

Para o MPF/TO, o acusado deve ser condenado às sanções previstas aos crimes tipificados nos artigos 299 (falsidade ideológica) combinado com 304 do Código Penal Brasileiro, em continuidade delitiva.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 113 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal