Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


ÚLTIMOS TREINAMENTOS DE 2017 SOBRE FRAUDES e DOCUMENTOSCOPIA

Veja aqui a programação dos últimos treinamentos sobre Falsificações e Fraudes Documentais (16/11) e sobre Prevenção e Combate a Fraudes em Empresas (30/11).

Acompanhe nosso Twitter

03/02/2012 - Tribuna do Norte Online Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Dois suspeitos de fraude têm prisão preventiva revogada


A Justiça revogou ontem as prisões temporárias de Cláudia Suely de Oliveira Costa e Carlos Eduardo Cabral Palhares de Carvalho, presos na terça-feira (31) durante a Operação Judas, do Ministério Público em parceria com a Polícia Civil. Além do pedido de revogação da prisão dos dois, o advogado também tenta a liberação de Carla Ubarana, ex-chefe da Divisão de Precatório do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte, e do marido dela, George de Araújo Leal. Não há a confirmação quanto à resposta sobre o pedido de revogação da prisão do casal.

Ontem, o advogado havia justificado o pedido de revogação da prisão temporária informando que o motivo da detenção seria o cumprimento de mandados de busca e apreensão. Com o cumprimento dos referidos mandados, Felipe Cortez justificou que não havia a necessidade da manutenção da prisão. Cláudia Suely estava à disposição da Justiça no CDP de Parnamirim, enquanto Carlos Eduardo Palhares estava custodiado no presídio provisório Raimundo Nonato.

ACUSAÇÃO

Os dois liberados ontem pela Justiça são suspeito de serem laranjas no suposto esquema de fraudes no setor de pagamento de precatórios do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte. Eles receberiam recursos supostamente desviados por Carla Ubarana, ex-chefe do setor no TJRN.

Carla Ubarana continua internada

A ex-chefe da Divisão de Precatórios do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte, Carla Ubarana, presa durante a operação Judas, segue em tratamento médico. Nesta quinta-feira (2), o boletim médico da paciente informou que o quadro atual está regular e a alta médica já foi solicitada para que Ubarana deixe a unidade de terapia intensiva. No entanto, ela permanecerá internada.

Antes das investigações sobre possíveis irregularidades na Divisão de Precatórios, Carla Ubarana já estava em tratamento médico. Ao ser detida em Recife, a ex-chefe de setor do TJ estava abalada e, durante, o percurso de volta para Natal, tomou diversos comprimidos. Ao chegar à Delegacia Especializada em Investigação de Crimes Contra a Ordem Tributária (Deicot), ela chegou a desmaiar e foi conduzida para o hospital.

Além de Carla Ubarana e do marido, George de Araújo Leal, também foram presos durante a operação Judas Cláudia Suely de Oliveira Costa e Carlos Eduardo Palhares de Carvalho (já libertados), Carlos Alberto Fasanaro e Pedro Luiz da Silva Neto. Entre eles, apenas Pedro Luiz já conseguiu o benefício da prisão domiciliar devido à recuperação de uma cirurgia bariátrica.

Quem é quem

Veja qual a situação de cada um dos seis suspeitos presos na Operação Judas, do Ministério Público:

Carla de Paiva Ubarana Araújo Leal

Servidora de carreira do Tribunal de Justiça e ex-chefe do Setor de Precatórios. É suspeita de operacionalizar o esquema de desvios de recursos destinados ao pagamento dos precatórios. Ela está internada no Hospital São Lucas, após ter sofrido uma crise hipertensiva.

George Luís de Araújo Leal Costa
Esposo de Carla Ubarana. É suspeito de receber o dinheiro sacado das contas de Cláudia Suely, Carlos Eduardo Palhares e Carlos Alberto Fasanaro Júnior. Está detido no Presídio Provisório Raimundo Nonato, na zona Norte.

Cláudia Suely Silva de Oliveira Costa

Funcionária particular de Carla Ubarana. Suspeita de cometer o crime de peculato, ela é apontada como cúmplice nas fraudes por disponibilizar sua conta bancária para depósitos e saques. Teve a prisão revogada ontem e está em liberdade.

Carlos Eduardo Cabral Palhares

Segundo investigações do MP, atuava como laranja no processo fraudulento. Fornecia a conta bancária para depósitos de montas destinadas ao pagamento de precatórios. Teve a prisão revogada.

Pedro Luiz Silva Neto

É escriturário de carreira do Banco do Brasil e atuou como gerente da agência de funcionalismo público. Suspeita-se que ele facilitava os procedimentos bancários para liberação de recursos. Pedro está cumprindo prisão domiciliar temporária.

Carlos Alberto Fasanaro Júnior

Assim como Cláudia Suely e Carlos Eduardo Palhares, é suspeito de receber dinheiro em sua conta bancária. Se entregou à Polícia quarta-feira passada e está detido no Presídio Provisório Raimundo Nonato, na zona Norte.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 190 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal