Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


ÚLTIMOS TREINAMENTOS DE 2017 SOBRE FRAUDES e DOCUMENTOSCOPIA

Veja aqui a programação dos últimos treinamentos sobre Falsificações e Fraudes Documentais (16/11) e sobre Prevenção e Combate a Fraudes em Empresas (30/11).

Acompanhe nosso Twitter

06/02/2012 - TVI Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Aveiro: acusada de burla confessa alteração de dados para obter créditos

Processo em julgamento no tribunal de Aveiro envolve 12 arguidos.

A principal arguida num processo de burlas e falsificação de documentos que está a ser julgado no Tribunal de Aveiro e envolve 12 arguidos confessou, esta segunda-feira, que alterou dados de clientes para a concessão de créditos.

Sobre os arguidos impendem acusações de coautoria dos crimes de associação criminosa, burla e falsificação de documentos relativas a operações de crédito ao consumo em que, segundo a acusação, eram viciados os dados dos clientes. Alguns deles nem saberiam que tinham sido feitos pedidos de financiamento em seu nome.

A principal arguida, Maria Luísa Pinhão, que explorava o gabinete Multiserviços, com sede em Aveiro, para prestação de serviços como a realização de contratos de seguros e créditos para aquisição de bens e serviços, foi detida pela Polícia Judiciária no final de 2006, permanecendo em prisão preventiva durante três meses. Depois, passou a prisão domiciliária e está atualmente com termo de identidade e residência.

Perante o colectivo de juízes, foi uma das seis pessoas que se dispôs a falar logo no início do julgamento, mas o seu advogado requereu que o fizesse sem os restantes arguidos estarem presentes, o que foi atendido.

Ao tribunal, Maria Luísa Pinhão admitiu que, em algumas situações, foi ela quem alterou o perfil dos clientes, através de um programa informático que tinha instalado e que lhe permitia manipular os documentos necessários para a obtenção de crédito, como recibos de vencimento ou contas de luz e água.

«Quando os clientes não tinham perfil adequado, criava-se e na maioria cumpriam e pagavam os empréstimos», respondeu ao juiz presidente, justificando que alteravam os valores dos rendimentos porque tinham de trabalhar por objectivos.

A arguida assegurou que nem todas as alterações nos documentos foram feitas por si e, quando confrontada com a acusação de que havia créditos em nome de pessoas que o desconheciam e cujos documentos pessoais haviam sido furtados, disse não saber como é que esses documentos chegaram ao gabinete. «Eu, por regra, não conhecia as pessoas e não sabia como é que os documentos chegavam. Não sei se essas pessoas sabiam ou não», afiançou, adiantando que a proveniência tanto poderia referir-se à actividade de angariadores do escritório, alguns coarguidos, como de stands automóveis com que trabalhavam e de empresas que vendiam outros bens, como aspiradores.

No despacho de acusação, o Ministério Público (MP) sustenta que, desde Fevereiro de 2003 a Janeiro de 2007, os arguidos falsificaram documentos alheios, que eram usados para abrir contas bancárias e obter créditos para aquisição de bens, conseguindo assim «verbas elevadas» que entre eles distribuíram.

Segundo o MP, os arguidos ¿ entre os quais um contabilista, empresários e vendedores de automóveis - actuavam de prévio e comum acordo, agindo como «uma organização algo elaborada».

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 117 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal