Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


ÚLTIMOS TREINAMENTOS DE 2017 SOBRE FRAUDES e DOCUMENTOSCOPIA

Veja aqui a programação dos últimos treinamentos sobre Falsificações e Fraudes Documentais (16/11) e sobre Prevenção e Combate a Fraudes em Empresas (30/11).

Acompanhe nosso Twitter

03/02/2012 - paraiba.com.br Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Homem é preso acusado de negociar equipamento para clonar cartões em João Pessoa

Por: Paulo Cosme e Vinícius Henriques


Um homem acusado de integrar uma quadrilha interestadual especializada na clonagem de cartões de crédito foi preso em flagrante na noite desta quinta-feira (2) em João Pessoa. De acordo com a polícia, o alvo do estelionatário, era principalmente os postos de combustíveis.
Adeildo Menezes da Cunha Filho, 37 anos foi preso no conjunto Castelo Branco quando se preparava para aplicar mais um golpe. A polícia chegou até o acusado depois que um frentista ligou e passou todos os dados da moto e as características físicas dele.

De posse dessa informação, o sargento Edmilson, que integra a Rotam do 5º Batalhão, iniciou as investigações e buscas e conseguiu localizar o acusado. Adeildo Menezes estava numa moto vermelha de placa OFE-7990 da cidade de Rio Tinto na Paraíba.

Com ele, a polícia apreendeu documentos falsos, um notebook, vários cartões e de crédito, um equipamento conhecido por “Chupa cabra”, usado para armazenar os dados do cartão, além de vários outros objetos.

De acordo com o sargento Edmilson, o acusado chegava aos postos de combustíveis e oferecia dinheiro ao frentista para ele praticar o golpe. Se o funcionário aceitasse, o acusado dava o “chupa cabra” que poderia ser colocado (escondido) no bolso da calça.

No momento em que o cliente abastecesse o carro e entregasse o cartão, o frentista, aproveitava o percurso até a máquina, introduzia o cartão no “chupa cabra” e a partir daí os dados ficam armazenados em um chip.

Logo em seguida, os dados do cliente eram repassados para integrantes da quadrilha em São Paulo, que se encarregava de clonar os cartões e aplicar o golpe.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 282 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal