Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FALSIDADE DOCUMENTAL NOS PROCESSOS ELETRÔNICOS

Veja aqui a programação deste inédito treinamento programado para o dia 20/12 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

02/02/2012 - EPTV.com Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

MP quer oferecer 4 denúncias sobre supostas fraudes na prefeitura

Prefeito e outros ex-funcionários da administração são investigados. Justiça determinou o bloqueio de bens.

O Ministério Público (MP) vai oferecer quatro denúncias sobre as possíveis irregularidades em licitações entre a prefeitura de Monte Mor e empresas suspeitas de fraudes. A Justiça determinou o bloqueio de bens e a quebra de sigilo bancário do prefeito Rodrigo Maia (PSDB) e outros investigados.

Em um dos processos tem por base um pregão feito em 2006 para a prestação de serviço de limpeza de fossa envolve o prefeito e os nomes de outros dois ex-funcionários.Na ocasião, a empresa Camp Jato foi a campeã e no ano seguinte para o mesmo serviço não ofereceu nenhum lance e a empresa Hydrax venceu o contrato.

Segundo os promotores, outra evidência de irregularidades é que as duas empresas são da mesma família, de Gregório Cerveira. Além disso, a Hydrax manteve o mesmo endereço utilizado pela empresa Camp Jato. O telefone para contato entre as duas empresas era o mesmo e estes fatos seriam indícios de que na verdade não se tratam de duas empresas diferentes.

Os promotores afirmam que Robson Cerveira, Priscila Cerveira Lima, Gregório Vanderlei Cerveira e Silvia Patricia Gardioli donos das empresas, fraudaram mediante ajuste ou combinação o processo de licitação de um dos pregões.

Funcionários públicos também estão envolvidos. Na ação, os promotores alegam que Welen Alexandra de Faria Santos Baumgartner, ex-procuradora do município e Claudemir Zambonini, Pregoerio sabiam da fraude e poderiam ter agido para evitar o resultado.

A Hydrax, empresa que aparece no processo, também teve seu nome envolvido em irregularidades em Campinas. Ela é acusada de ter pagado propina para vencer licitações.

Os proprietários das empresas Hidrax e Camp Jato, não foram encontrados. Em relação aos funcionários da prefeitura de Monte Mor, a assessoria informou não vai se manifestar porque ainda não foi notificada. O prefeito Rodrigo Maia disse que não tem nenhum envolvimento com qualquer esquema que de fraudes em licitações.

Bloqueio de bens

A Justiça de Monte Mor decretou o bloqueio de bens e a quebra do sigilo bancário do prefeito nesta quarta-feira (1°). A mesma determinação foi feita para as empresas Hidrax, Camp Saneamento, os empresários Robson Cerveira, Priscila Cerveira Lima, Gregório Wanderley Cerveira e Silvia Patrícia Gardioli, além dos servidores públicos Wellen Alexandra e o atual chefe de licitações da prefeitura, Claudemir Zambonni. Ele também foi afastado do cargo por decisão judicial, para não comprometer as investigações do caso.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 1051 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal