Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


ÚLTIMOS TREINAMENTOS DE 2017 SOBRE FRAUDES e DOCUMENTOSCOPIA

Veja aqui a programação dos últimos treinamentos sobre Falsificações e Fraudes Documentais (16/11) e sobre Prevenção e Combate a Fraudes em Empresas (30/11).

Acompanhe nosso Twitter

21/01/2012 - odiario.com Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Pastora golpista é indiciada e vítima presta depoimento – Confira como foi o golpe…


Orlanda de Oliveira Rosa (foto) e sua família vitima da pastora da Igreja Pentecostal Unidos Pela Fé, Julieta de Souza, de 51 anos, prestaram depoimentos nesta tarde de sexta-feira (20), na 1ª Depac, em Campo Grande. -Clique, leia e entenda como foi aplicado o golpe através do depoimento da vitima e comente…

Comerciante aposentada e vivendo também dos lucros de investimentos em pecuária e imóveis, Orlanda de Oliveira Rosa tinha 73 anos quando foi para a Igreja Evangélica Pentecostal Unidos pela Fé, comandada pela pastora Julieta Souza, 51 anos.

“Um primo me indicou e eu fui. Conheci ela [a pastora]. Eu tinha ela como grande amiga minha”, conta Orlanda. Sete anos depois, Orlanda, agora com 80 anos, descobriu que a amiga a furtou jóias, dinheiro, roupas e causou um prejuízo, segundo a família, de aproximadamente R$ 700 mil.

A família e amigos já a tinham alertado da situação. Mas, Orlanda só acreditava na pastora e agora tem outro pensamento sobre a mulher. “Ela é uma ladra. Ela só me prejudicou”, diz.

“A gente procurou o Ministério Público em 2008. O pessoal falou com ela, mas, como ela falava que estava tudo certo, nada foi feito. Mas, a gente percebia a situação”, lembra o bancário aposentado Olegário de Oliveira Rosa, 72 anos, irmão de Orlanda.

Desde então, a família ficou “com o pé atrás” e avisa da situação, mas, com bem menos alertas. Neste período, Orlanda lembra que Julieta dizia que suas coisas estavam “macumbadas” e a fazia se desfazer delas. “Ela tinha mania de dizer que estava tudo macumbado. Aí, ela me roubou dinheiro, mala de roupas, sapatos”.

No ano passado, o advogado da idosa e o estagiário dele descobriram que era Julieta quem estava recebendo o dinheiro de acordos pecuários feitos por Orlanda. Foi então que a Polícia Civil entrou no caso e descobriu toda a situação.

Além dos furtos de roupas, jóias, calçados e dinheiro, Julieta ganhou uma residência avaliada em R$ 530 mil em um bairro nobre da Capital e saiu de uma casa de fundos onde morava de aluguel com o marido e três filhos.

Segundo o delegado Miguel Said, da 1ª Delegacia de Polícia Civil, Orlandina comprou o imóvel e passou para Julieta, que também tinha uma procuração para movimentação financeira da idosa. “A procuração foi eu quem deu para ela. Ela não pediu”, lembra a vítima.

Com o documento em mãos, a pastora recebia a aposentadoria de Orlanda, lucros de investimento e também fez empréstimos consignados em instituições bancárias.

O marido da pastora, Nelson Gimenes, ficava com o dinheiro que era para pagar o condomínio. “Agora descobri que tenho divida até com isso, contou a aposentada.

Segundo a família, Orlanda de Oliveira só descobriu o golpe depois que um homem foi na casa dela e contou que o “anjo Gabriel” havia lhe falado que a líder religiosa estava roubando suas coisas. “Ele foi lá enviado por Deus”, disseram.

Agora, depois do crime, a aposentada disse que não vai acreditar em mais ninguém. “Agora estou escaldada”, finalizou.

A pastora Julieta Souza e o marido, Nelson Gimenes, foram indiciados por estelionato qualificado por ter sido contra idoso e retenção de documentos. Julieta nega que tenha ficado com os documentos pessoais da aposentada e afirma que tudo o que conseguiu até hoje foi por meio de orações.

“Ore bastante que Deus manda”, disse ao delegado Miguel Said, responsável pelas investigações.

O delegado vai pedir à Justiça que a casa da pastora seja seqüestrada. Um carro da idosa, avaliado em R$ 20 mil, já foi recuperado. O veiculo estava à venda em uma garagem da Capital.

Agora, polícia e familiares vão procurar instituições bancárias para saber quanto a aposentada deve em empréstimos consignados.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 158 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal