Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


ÚLTIMOS TREINAMENTOS DE 2017 SOBRE FRAUDES e DOCUMENTOSCOPIA

Veja aqui a programação dos últimos treinamentos sobre Falsificações e Fraudes Documentais (16/11) e sobre Prevenção e Combate a Fraudes em Empresas (30/11).

Acompanhe nosso Twitter

10/01/2012 - Paraná Online Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Preso, Cleber Salazar nega denúncias de fraude em bombas

Por: Joyce Carvalho


O empresário Cleber Salazar, que permanece preso após denúncias de fraude em bombas de combustível, negou os fatos durante depoimento na sede do Grupo de Atuação Especial e Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público, na noite desta segunda-feira. "Ele não esclareceu nada e negou todos os fatos. A reportagem foi rodada durante o depoimento e paramos ponto a ponto. Ele procurou justificar cada um deles como atividade lícita", comentou a procuradora Cristina Corso Ruaro, da Promotoria de Defesa do Consumidor, que acompanhou o depoimento.

De acordo com ela, Salazar falou que os R$ 5 mil citados na reportagem do programa Fantástico, da Rede Globo, são referentes somente ao preço de manutenção da bomba de combustível. "Ele disse que os R$ 5 mil eram preço de tabela pela manutenção de uma bomba. Isto vai ser investigado inclusive com empresas concorrentes", explicou Cristina. Ela ainda ressaltou que a informação também será confrontada com os dados bancários e fiscais de Salazar, além da documentação já apreendida na empresa do empresário.

Se for comprovada a fraude nos postos de combustíveis, os proprietários e responsáveis pelos estabelecimentos também vão responder judicialmente. Eles podem ser indiciados por formação de quadrilha, estelionato e crimes contra a ordem econômica, entre outros. "Além do âmbito criminal, será instaurado um inquérito civil para verificar junto aos órgãos fiscalizadores uma maneira de garantir maior seguranças nestes equipamentos", afirmou a promotora.

Ela ressaltou que, desde a exibição da reportagem, o consumidor se sente inseguro ao abastecer seu veículo. "Ninguém tem como saber se há ilícito. Somente pessoas credenciadas têm acesso às bombas. Todo consumidor, hoje, vai ficar na dúvida", indicou Cristina.

O delegado Jaime Estorilio, da Delegacia do Consumidor (Delcon), enfatizou que não havia nenhum denúncia mais consistente sobre esta fraude. "Tivemos apenas uma denúncia de um usuário de um posto na Cidade Industrial de Curitiba. Foi checada e não foi verificado nada", relatou. O Ministério Público também declarou que não recebeu nenhuma denúncia sobre a fraude das bombas por controle remoto.

O procurador-geral de Justiça, Olympio de Sá Sotto Maior Neto, assegurou que o Ministério Público investigaria a situação se já tivesse esta informação e até mesmo tentaria um flagrante com os postos utilizando as placas eletrônicas adulteradas. "Agora o Ministério Público vai atrás das provas", disse.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 263 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal