Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


ÚLTIMOS TREINAMENTOS DE 2017 SOBRE FRAUDES e DOCUMENTOSCOPIA

Veja aqui a programação dos últimos treinamentos sobre Falsificações e Fraudes Documentais (16/11) e sobre Prevenção e Combate a Fraudes em Empresas (30/11).

Acompanhe nosso Twitter

16/12/2011 - ComputerWorld Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Empresa que vendeu antivírus falso pagará US$ 8 mi a enganados

Justiça dos EUA determinou que a Innovative Marketing, empresa responsável, reembolse as 320 mil vítimas do golpe virtual.

A história do antivírus falso da Innovative Marketing teve finalmente uma decisão judicial. A empresa terá de reembolsar as centenas de milhares de consumidores dos Estados Unidos que foram enganados para comprar seus produtos.

Um anúncio no site da Comissão Federal de Comércio dos EUA (FTC) informa que o órgão chegou a um acordo com a companhia, fundada na Ucrânia, por meio do qual os 320 mil usuários enganados receberão seu dinheiro de volta.

A média dos pagamentos não será muito alta, ficando na casa dos 20 dólares, disse a FTC, mas algumas pessoas receberão valores maiores, dependendo de quanto pagaram pelas licenças inúteis dos produtos.

A tática que transformou a companhia em máquina de fazer dinheiro consistia em simplesmente alegar que o PC de um usuário estava infectado por malwares (que não existiam) e podia ser limpo mediante ao pagamento de uma taxa. Desde 2005, o negócio foi tão bem-sucedido que acredita-se que a Innovative tenha ganho pelo menos 100 milhões de dólares a partir da venda de licenças de uma variedade de programas falsos.

A decisão da FTC menciona três deles em particular – Winfixer, Drive Cleaner e XP Antivirus – mas o número de programas enganosos forma uma lista muito maior, sendo que alguns exemplos podem ser encontrados no site da Microsoft.

A história da Innovative Marketing e seus fundadores tornou-se longa e complicada com o passar dos anos, mas chegou a um fim em 2008 quando um processo da FTC iniciado por reclamações de muitos consumidores levou um juiz a fechar uma unidade da empresa em Belize, além do seu host nos EUA, o Byte Hosting.

Em 2010, três homens foram acusados de envolvimento nas operações globais da empresa: Shaileshkumar "Sam" Jain, Bjorn Daniel Sundin e o homem que dirigia a Byte Hosting, James Reno.

Apontado como o “magnata do scareware”, Jain trocou os EUA pela Ucrânia em 2005 após ser processado pela Symantec pela venda de software falsificado. Em junho de 2011, a Justiça decidiu pela apreensão de 14,8 milhões de dólares da conta de Jan em um banco suíço, como uma forma de recompensar a fabricante americana de programas de segurança pelo golpe da Innovative.

A notícia desta semana representa um momento importante na história da criminalidade na computação – pela primeira vez um grande número de vítimas de um golpe receberá seu dinheiro de volta.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 128 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal