Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

18/09/2007 - A Tarde Online Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Golpistas são identificados por outras vítimas

Por: Alean Rodrigues


Fernando de Jesus Geraldi, 29 anos e Sielton Assunção Fonseca, de 22, foram reconhecidos por duas pessoas como sendo os autores de golpes em agências bancárias, dos quais foram vítimas. O reconhecimento foi feito na manhã de ontem no Complexo Policial Investigador Bandeira, onde os acusados estão presos à disposição da justiça.

Uma das vítimas, de iniciais L.S.A. contou que os acusados retiraram de sua conta o valor de R$ 600 e da conta de sua cunhada R$ 500. Os golpes aconteceram no mês de julho.

De acordo com a vítima, ela estava na agência do Bradesco, na Avenida Getúlio Vargas, quando foi abordada pelos acusados que se ofereceram para ajudá-la. Como ela não aceitou, eles deram um esbarrão nela e conseguiram trocar o cartão. “Foi tudo tão rápido que não notei a troca, só percebi porque não conseguia efetuar a retirada e vi que o cartão estava trocado”, lembra.

Com a cunhada foi diferente. Eles a ajudaram a sacar um dinheiro e depois transferiram R$ 500 da poupança para a conta deles. “Eu só percebi o roubo no outro dia, quando fui ver o extrato e havia a transferência para outra conta.

Fui ao banco e soube que a conta era de Salvador, mas não descobri quem era o titular”, revela S.S.L.. As duas disseram que não prestaram queixa na época com medo que os acusados retornassem e fizessem mal para elas. “Não acreditamos que eles seriam presos de jeito nenhum, quando vi a foto deles no jornal resolvemos vir aqui e falar com o delegado para registrar queixa”, contaram.

O delegado Marcelo Marques, da Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos (DRFR), informou que Fernando Geraldi tem dois mandados de prisão preventiva decretados, na cidade de Taboão da Serra-SP, por assalto. E que a identidade dos outros envolvidos já foi descoberta, sendo a prisão deles uma questão de dias.

DIFICULDADES – A autônoma Joceane Cardoso Menezes, 26 anos, que foi arrastada, no sábado (15), por cerca de 150 metros pelo veículo picape Saveiro pertencente aos golpistas, teve o pé direito quebrado e luxação no pé esquerdo e mãos, além de escoriações por todo o corpo e rosto. Ela está fazendo uso de antibióticos e pode sofrer uma intervenção cirúrgica a qualquer momento.

“Quando fiz a radiografia do pé, o médico disse que tinha 90% de chance de ter que fazer uma cirurgia. Amanhã (quarta-feira, 19) irei fazer a revisão e já estou preocupada, pois não tenho condições de arcar com as despesas”, disse.

Casada e mãe de dois filhos pequenos, um deles com problemas de visão grave, a autônoma diz que sobrevive da renda que tira da venda de produtos de beleza e confecções. O marido também é autônomo e viaja sempre para comercializar produtos diversos em feiras-livres do País. “Meu marido pouco pára por aqui e tenho que cuidar dos meninos e da casa, faço minhas vendas no período que tenho livre”, conta.

GOLPE - Ela lembrou o que ocorreu com ela no sábado. Diz que foi ao banco fazer um saque no valor de R$ 600 para cobrir um cheque. Lá foi abordada pelos acusados que ao se oferecerem para ajudá-la fizeram a transferência para outra conta. “Quando vi que o número da conta não era o meu perguntei a eles o que queriam fazer e eles saíram correndo. Os segui e no carro quando tentei falar com eles pela janela, eles fecharam o vidro e os meus dedos ficaram presos, ai eles me arrastaram”, lembra entre lágrimas.

Ela disse ainda que os golpistas, ao perceberem que ela não se soltaria do veículo, a empurraram, fazendo com que fosse projetada há alguns metros do local. “Deus teve misericórdia de mim, pois não sei como um carro não passou por cima. Fiquei caída no chão e não lembro de nada que aconteceu depois”, frisou.

Na manhã desta terça-feira (17) a autônoma foi submetida a exame de corpo de delito no Departamento de Polícia Técnica (DPT), cujo laudo deverá ser liberado após 10 dias. “Sinto muitas dores nas pernas e braços, acredito que é o esforço que estou fazendo, pois não tenho condições de pagar um táxi para me locomover e por isto estou forçando o pé”, desabafou.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 350 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal