Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

18/09/2007 - Folha de São Paulo Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Golpe do falso seqüestro ilude pai e filho ao mesmo tempo

Por: Gilmar Penteado


Por 29 horas, o pai acreditou que o filho era vítima de seqüestro. Já o filho achou que era o pai quem estava com os seqüestradores. Por telefone, criminosos fizeram um pensar que o outro era o refém e cobraram resgate dos dois.

O golpe de falso seqüestro custou R$ 8,2 mil a uma família de baixa renda em Osasco (Grande SP). O pai, um serralheiro de 55 anos, usou as economias para reforma da casa para fazer depósitos bancários e comprar créditos telefônicos para os criminosos. O filho, um estudante de 22 anos, não tinha dinheiro para pagar o resgate.

O golpe começou a ser aplicado às 11h de anteontem. Ao atender um telefonema do Rio de Janeiro, provavelmente de um presídio, o serralheiro foi surpreendido pelo anúncio do seqüestro do filho. Na ligação, um dos criminosos, chorando, fingia ser o estudante.

A farsa parecia seguir o ritual de outros golpes de falso seqüestro. Os criminosos, porém, ordenaram que o pai tirasse o telefone fixo do gancho, desligasse o celular e se hospedasse em um hotel, incomunicável. Só ligaria o celular nas horas marcadas pelos bandidos.

O filho estranhou ao chegar em casa e ver o telefone fora do gancho. Às 4h de ontem, foi o filho que recebeu a ligação, do mesmo aparelho, dizendo que o pai tinha sido seqüestrado. O resgate era de R$ 50 mil.

Quase ao mesmo tempo, por volta das 7h de ontem, pai e filho receberam novas ligações dos falsos seqüestradores. O filho disse que não tinha os R$ 50 mil e precisava de mais tempo. O pai ofereceu R$ 7,7 mil da poupança da família para depositar em contas bancárias repassadas pelos criminosos --o serralheiro já tinha repassado R$ 500 em créditos telefônicos para os bandidos.

O serralheiro fez dois depósitos e rasgou os comprovantes e os jogou no esgoto, por orientação dos falsos seqüestradores.

A farsa só começou a ser descoberta quando um amigo da família viu o pai em uma praça de Osasco. Ele disse que não poderia falar porque seu filho estava seqüestrado. O amigo ligou para a casa do serralheiro e o filho atendeu. O serralheiro foi encontrado pelos policiais às 16h de ontem.

"Os criminosos usam uma conversa que hipnotiza. O pai pagou e o filho só não pagou porque não tinha. O conselho é que, nessas situações, desliguem o telefone e peçam ajuda", afirmou o delegado Francisco Pereira Lima, supervisor dos setor de homicídios e anti-seqüestro da Delegacia Seccional de Osasco. A polícia vai investigar a origem das ligações e as contas bancárias nas quais o dinheiro foi depositado.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 391 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2016 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal