Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FALSIDADE DOCUMENTAL NOS PROCESSOS ELETRÔNICOS

Veja aqui a programação deste inédito treinamento programado para o dia 20/12 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

02/12/2011 - EPTV.com Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Presidente da Emdhap é acusado de dar golpe da casa própria

Por: Karla Gigo e Camila Ancona

Adolescente de 16 anos contou suposto esquema à polícia.

O diretor-presidente da Empresa Municipal de Desenvolvimento Habitacional de Piracicaba (Emdhap), Walter Godoy dos Santos, é acusado de ser o mandante de uma fraude que convocou 130 pessoas para burlar a fila do sorteio das chaves das moradias da autarquia. A denúncia foi feita nesta sexta-feira (2) por 50 pessoas que teriam sido enganadas no esquema. Elas esperavam no Ginásio Waldemar Blatkauskas, no bairro Alto, para receber as chaves do suposto imóvel e do contrato. O caso foi levado à delegacia.

Em outubro deste ano, o golpe foi anunciado pela própria Emdhap, com nota divulgada no site da Prefeitura de Piracicaba, alertando a população da existência de uma pessoa, chamada Raquel, que seria a intermediária do esquema. O próprio Godoy enfatizou ao EP Piracicaba, na data, que a Emdhap não tinha qualquer envolvimento com a fraude. Ele disse, na época, que era necessário que, qualquer caso semelhante, fosse denunciado à polícia.

DENÚNCIA

A acusação partiu de uma adolescente de 16 anos que, segundo ela, foi contratada em um escritório na Rua XV de Novembro há oito meses. Uma mulher, chamada Cláudia, a teria encaminhado para trabalhar na Emdhap. O serviço da jovem era autônomo e ela seria responsável por fazer as inscrições de candidatos que receberiam a casa própria, entregue pela autarquia. A menina fazia os serviços em casa por R$ 250 ao mês pagos pela Emdhap, segundo ela.

ESQUEMA

De acordo com a garota, a fraude funcionava da seguinte forma: as pessoas a procuravam, após indicação de parentes e amigos, dizendo que queriam adquirir uma casa por meio da Emdhap. A adolescente pedia cópias de documentos de todos os integrantes que iriam morar na casa (RG, CPF, comprovante de residência e renda, além de antecedentes criminais e carteira de trabalho).

Depois, os interessados pagavam R$ 90 e mais R$ 17 pela cópia do contrato. Raquel garantia aos "novos mutuários" que, no dia 2 de dezembro, as pessoas iriam no Ginásio Waldemar Blatkauskas para pegar a chave do imóvel e o contrato. No dia de recebimento da chave, nesta sexta, as pessoas deveriam começar a pagar o imóvel parcelado em até 23 anos. As casas, que seriam entregues, foram construídas nos bairros Santa Fé e Gilda.

As vítimas relatam ainda que havia a participação de outra pessoa no esquema. Um cabeleireiro chamado Leandro, comerciante na Avenida Raposo Tavares, também seria responsável por fazer os contratos. Um pedreiro, que não quis se identificar, informou que havia segurança feita por policiais civis na frente da casa de Raquel, que mora no bairro Jaraguá. Investigadores também estariam envolvidos no esquema, segundo as vítimas do golpe.

DESCOBERTA

Sem qualquer presença da Emdhap no ginásio de esportes na manhã desta sexta, as vítimas foram orientadas pelo secretário-executivo da Defesa Civil de Piracicaba, Carlos Alberto Razzano, a abandonarem o local, segundo uma das pessoas lesadas pelo golpe e que não quis se identificar. "Ele falou pra gente que a fraude passava dos R$ 300 mil e mandou a gente ir embora", afirmou a dona de casa, que mora no Jardim Monte Cristo.

Doze pessoas seguiram para o 7º Distrito Policial (DP) para fazer um boletim de ocorrência. As vítimas relataram ainda que, na manhã desta sexta, receberam ligações da mãe e da própria Raquel, cancelando a entrega das chaves. Uma das 130 vítimas teria encontrado com a jovem na rua e, muito exaltada, a acusou de fraude, pois o nome não estava na lista dos concorrentes das casas próprias que seriam sorteadas na sexta.

AVISO NO SITE

As vítimas afirmaram que o site da Emdhap publicou que haveria nesta sexta uma entrega de 70 casas no bairro Santa Fé com a presença do prefeito Barjas Negri (PSDB) e de representantes da autarquia e da Companhia de Desenvolvimento Habitacional Urbano (CDHU). A entrega seria na sexta, às 11h, mesmo horário que Raquel teria combinado com os novos mutuários no ginásio de esportes.

A reportagem do EP Piracicaba entrou no site nesta sexta e a matéria sobre as casas no Santa Fé não está disponível. No entanto, a reportagem encontrou, em cache (resgate de páginas expiradas em um site de busca), uma matéria de que 70 casas seriam entregues no Santa Fé, no dia 2, às 11h. A matéria, segundo consta, estava disponível até a última quarta-feira (30). Consta ainda que, até esta sexta, a página "pode ter sido alterada nesse meio tempo".

A Prefeitura de Piracicaba informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que não houve entrega de casas no Santa Fé nesta sexta-feira.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 544 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2018 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal