Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FRAUDES NAS EMPRESAS

Veja aqui a programação deste importante treinamento programado para o dia 26/04 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

29/11/2011 - G1 Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Imagens de circuito interno podem identificar golpistas em Rio Verde

Dois homens são suspeitos de divulgar cerca de 300 vagas falsas de emprego.Eles se hospedaram em um hotel e imagens podem ajudar trabalho da polícia.

Imagens do circuito interno de segurança do hotel onde os suspeitos de estelionato se hospedaram em Rio Verde, no Sudoeste de Goiás, podem ajudar as investigações e identificar os golpistas que agiram na cidade oferecendo falsas vagas de emprego para aproximadamente 300 pessoas.

As imagens mostram dois homens que são apontados pela polícia como sendo os principais suspeitos do crime (veja vídeo abaixo). Segundo a Polícia Civil, os criminosos chegaram à cidade na última semana utilizando o nome de uma empresa de São Paulo. A prefeitura de Rio Verde chegou a emprestar um auditório para atender as pessoas que procuravam pelas vagas.

Eles recolheram cópias de documentos pessoais dos candidatos, a carteira de trabalho original e R$ 20 para realizar um exame médico. De acordo com a polícia, eles sumiram com os pertences no sábado (26), dia em que aconteceria a efetivação dos candidatos.

O mestre de obras Doniane Alves largou o emprego em Jataí, a cerca de 100 km de Rio Verde em busca de uma nova vida e se decepcionou: “Eu dei baixa no meu serviço e vim com o intuito de conseguir uma vaga. Eu perdi documentos e tempo.”

Segundo a recepção do hotel, os suspeitos ficaram hospedados durante três dias e optaram por um dos quartos mais luxuosos, consumiram todos os produtos do frigobar, usaram os serviços de lavanderia e telefone e saíram sem pagar a conta.

A prefeitura de Rio Verde disse que não sabia do golpe e apenas emprestou o auditório para uma empresa de São Paulo, mas que antes de ceder o local checou o CNPJ da empresa e foi constatado que ele estava ativo desde 2003.

A delegada que investiga o golpe afirmou que a empresa de São Paulo teve o nome usado de forma criminosa pela quadrilha e que o próximo passo é tentar identificar os golpistas usando as imagens do hotel.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 107 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2018 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal