Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


ÚLTIMOS TREINAMENTOS DE 2018 SOBRE FRAUDES E FALSIFICAÇÕES
Veja AQUI programação e promoções dos últimos treinamentos de 2018 da DEALL R&I
sobre Fraudes e Falsificações nos dias 14, 22 e 29 de novembro.


AFD SUMMIT
A maior Conferência de Investigação Corporativa & Perícia Forense da América Latina.
São Paulo dias 08-09 de dezembro de 2018


Acompanhe nosso Twitter

17/11/2011 - Correio do Brasil Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Ex-vereador Josemar da Silva é preso por envolvimento em esquema de fraudes licitatórias

Por: Jorge Júnior


A Polícia Federal (PF) e a Receita Federal estouraram um sistema de fraudes em processos licitatórios e em pregões eletrônicos, na manhã desta quinta-feira, dia 17 de novembro, em Juiz de Fora e nas capitais do Rio de Janeiro e de São Paulo. De acordo com o delegado da PF, Cláudio Dornellas, a quadrilha que agia desde 2005, deve ter movimentado mais de R$ 30 milhões. Durante a operação, intitulada Trucatto foram cumpridos dez mandados de busca e apreensão e quatro mandados de prisão temporária.

Entre as pessoas que foram presas está o ex-vereador Josemar da Silva. Durante entrevista coletiva, concedida a imprensa nesta tarde, Dornellas afirmou que o advogado seria o “cabeça” do esquema, que envolveu fraudes em centenas de processos licitatórios de autarquias e órgãos públicos federais em todo o Brasil. A prisão preventiva de cinco dias de Silva foi acompanhada por representante da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Ele está em uma cela especial do Ceresp.

“A prisão pode ser revogada, ampliada e cabe recurso por parte da defesa.” Silva foi superintendente da Associação Municipal de Apoio Comunitário (AMAC), entre os anos de 1993 e 1996, nomeado por Custódio Mattos. Além do ex-político, uma mulher foi presa e levada para a Penitenciária Ariosvaldo Campos Pires. Outros dois homens estão em cela comum também no Ceresp, por não possuírem curso superior.

Polícia Federal e Receita deflagram operação contra fraudes em licitações PRF apreende carretas com excesso de carga na BR-040 em Juiz de ForaPolícia Civil desmantela quadrilha que vendia CNH falsa por R$ 2.500

Ainda de acordo com o delegado, durante a operação, foram encontrados US$ 87 mil dólares, 465 euros, 40 francos suíços, 219 pesos argentinos e R$ 29 mil. A quantia foi apreendida durante a manhã, quando agentes da delegacia da PF atuaram em dois pontos: na Floriano Peixoto, próximo à esquina com a Francisco Bernardino, no Centro, onde funciona um escritório de advocacia; e em um call center localizado no bairro Ipiranga. “Foram encontrados também no mesmo endereço, documentos que pertenciam a dezenas de empresas. Os principais serviços oferecidos eram de limpeza, conservação e call center. As empresas eram constituídas em nomes de terceiros, que funcionariam como laranjas.” Dornellas destaca que as empresas também estavam situadas no mesmo local.

Segundo o delegado da Receita Federal, Marcos Amorim, a central telefônica teria mantido um contrato com a Receita durante, aproximadamente, dois anos. Em nota, a PF informou que as empresas investigadas participavam, concomitantemente, em pregões eletrônicos em diversos estados, utilizando-se de interpostas pessoas, na constituição das firmas, bem como se valiam de outros ardis, com o objetivo de fraudar o princípio da concorrência das licitações públicas.” Ou seja, os responsáveis pelo esquema, segundo a PF, associavam uma séria de empresas de fachada, que entravam no mesmo pregão para aumentar a chance de saírem vencedoras. Os suspeitos podem ser indiciados pelos crimes de fraude em processo licitatório, falsificação de documento, falsidade ideológica e formação de quadrilha.

Fraude no Minha Casa minha Vida

Na coletiva, Dornellas também adiantou que recebeu um documento enviado pela Prefeitura do município, que apresenta indícios de fraudes no programa Minha Casa Minha Vida. “Um inquérito policial foi aberto e os policiais vão apurar.” Segundo o delegado, uma pessoa estaria cobrando a quantia de R$ 500 para cadastrar cidadãos no programa. “As pessoas serão chamadas para se identificarem. Há indícios de que funcionários públicos estejam envolvidos na quadrilha.” Dornellas alertou para que os juiz-foranos não caiam no golpe.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 109 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Divulgação





NSC / LSI
Copyright © 1999-2018 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal