Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FALSIDADE DOCUMENTAL NOS PROCESSOS ELETRÔNICOS

Veja aqui a programação deste inédito treinamento programado para o dia 20/12 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

25/11/2011 - Diário do Pará Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Presa quadrilha especializada em fraudes bancárias


Uma operação deflagrada na manhã desta quinta-feira (24) pela Polícia Federal resultou na prisão de sete pessoas em Marabá, sudeste do Pará, acusadas de fraudes bancárias na internet. Dentre os presos está um policial militar.

O valor total estimado das fraudes cometidas apenas no período de investigação estimado é de mais de R$ 3 milhões no Pará, podendo atingir valores bastante superiores a partir da análise do material apreendido.

Ao total, foram expedidos pelo juiz da 4ª Vara Federal de Belém Antônio Carlos Almeida Campelo, 25 mandados de prisão preventiva, 33 de busca e apreensão e 7 de condução coercitiva, sendo um deste cumprido em Goiânia e outro em Curitiba.

Cento e sessenta policiais federais de Belém, Imperatriz (MA) e Brasília (DF) participaram da operação, denominada On-line. Durante a ação em Marabá, foram presos Gabriel Alves de Araújo Leite, Herbert Assem Calixto, Darlan Pereira Brito Gomes, Elissandro Caetano de Sá, Nivaldo Maravilha Lima, Ernandes Castro Alves e o policial militar Dhony Souza Santos.

Em poder deles foram apreendidos vários televisores, computadores e veículos de luxo. Segundo o delegado Marco Aurélio, que veio de Belém comandar a operação, os presos na operação são arregimentadores de cartão ou pessoas que cediam a sua conta bancária para receber dinheiro desviado de forma fraudulenta de contas vítimas.

A operação é resultado de uma investigação que estava sendo realizada há seis meses. As investigações apontaram que o policial militar Dhony Souza Santos, o Baratinha, mantinha contato com os usuários dos programas maliciosos (vírus) e arregimentava boletos bancários de arrecadação do município para serem pagos de forma fraudulenta.

FRAUDES

A quadrilha também invadia as contas da Caixa Econômica Federal e de outros bancos para roubar o dinheiro por meio de transferências a “laranjas”, compra de passagens aéreas usando os pontos do programa de milhagem das vítimas, além de compras de cimentos.

Com relação às fraudes no comércio de cimentos, o delegado Marco Aurélio explicou que a quadrilha conseguia, por meio de empresas fantasmas, fazer uma compra de cimento e o boleto gerado era pago por meio de fraude em contas bancárias de empresas privadas. O valores eram altos, de R$ 10 a R$ 18 mil.

“O cimento de fato era entregue em outros locais e lá eram vendidos a preços de custo. Então, os fraudadores conseguiam um lucro rápido e também lavavam o dinheiro”, explicou o delegado da PF.

De acordo com informações da Polícia Federal, a quadrilha já atuava há pelo menos dois anos na região. Alessandro José, apontado como chefe da quadrilha, continua foragido da Justiça. Além dele, outros alvos não foram localizados, mas os agentes da PF estavam negociando para que eles se entreguem, segundo informou o comandante da operação.

Os presos responderão pelos crimes de formação de quadrilha, furto mediante fraude, lavagem de dinheiro, falsidade ideologia, interceptação de dados ilegal e violação do sigilo bancário. Somadas, as penas podem ultrapassar 25 anos de reclusão.

Ontem mesmo eles foram encaminhados para o Centro de Recuperação Agrícola Mariano Antunes, onde estão à disposição da Justiça.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 360 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2018 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal