Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FRAUDES NAS EMPRESAS

Veja aqui a programação deste importante treinamento programado para o dia 26/04 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

25/11/2011 - O Povo Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Quadrilhas desviaram mais de R$ 20 milhões de bancos

Alvos de ação da Polícia Federal foram quadrilhas do Rio Grande do Sul, Pará e Goiás. De 38 mandados de prisão preventiva, 21 foram cumpridos.

A Polícia Federal (PF) realizou ontem duas operações de combate a fraudes bancárias na Internet. Os alvos foram quadrilhas do Rio Grande do Sul, Pará e Goiás. A estimativa é que os criminosos tenham desviado mais de R$ 20 milhões de dois anos para cá. Mas, o número pode ser maior. De um total de 38 mandados de prisão preventiva, 21 foram cumpridos ontem, segundo o delegado Carlos Eduardo Sobral, chefe de Repressão a crimes cibernéticos. Também foram emitidos 49 mandados de busca e apreensão.

Na operação do Rio Grande do Sul, chamada de Dedicado, foram 10 prisões, além da apreensão de nove veículos, entre os quais um Porsche, um jet ski, uma minimoto, uma pistola e produtos eletrônicos.

As investigações começaram em abril do ano passado. A quadrilha, que atuava há mais de 10 anos, invadia contas para sacar valores por meio de transferência a “laranjas”, pagava boletos bancários e tributos, especialmente IPVA, além de comprar mercadorias, como material de construção.

No Pará, a Operação Online apurou que os criminosos pagavam boletos com valores em torno de R$ 15 mil, além de “lavar dinheiro” com empresas de venda de cimento em Marabá.

Foram 11 detenções, além da apreensão de cinco veículos, computadores e televisores. As investigações fazem parte do Projeto Tentáculos da PF, uma parceria entre a Caixa Econômica Federal (CEF) e o Ministério Público Federal (MPF).

Os investigados responderão pelos crimes de furto qualificado, estelionato, formação de quadrilha e interceptação telemática criminosa. Somadas, as penas podem ultrapassar 25 anos de reclusão. (das agências de notícias)

Como

ENTENDA A NOTÍCIA

As empresas de fachada a serviço do grupo eram usadas para emitir boletos sem a devida contrapartida em relação à prestação de serviços ou venda de produtos, para que fossem quitados usando valores desviados das contas invadidas.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 505 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2018 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal