Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


ÚLTIMOS TREINAMENTOS DE 2018 SOBRE FRAUDES E FALSIFICAÇÕES
Veja AQUI programação e promoções dos últimos treinamentos de 2018 da DEALL R&I
sobre Fraudes e Falsificações nos dias 14, 22 e 29 de novembro.


AFD SUMMIT
A maior Conferência de Investigação Corporativa & Perícia Forense da América Latina.
São Paulo dias 08-09 de dezembro de 2018


Acompanhe nosso Twitter

10/11/2011 - Futebol Interior Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Gestão de Leonel Martins falsifica documentos para não pagar funcionário

E não dá para Leonel Martins jogar a responsabilidade em um de seus antecessores.

Campinas, SP, 10 (AFI) - A situação do ainda presidente do Guarani, Leonel Martins de Oliveira, a cada dia se complica mais. Bastou uma simples investigação sobre alguns temas de sua gestão para observar que os fatos vão além da má-gestão e da gestão temerária e apontam que Leonel Martins vem administrando o Guarani de maneira criminosa. É o que foi concluído após criterioso exame do processo 1515/2007 perante a 11ª Vara Trabalhista de Campinas.

Para comprovar pagamentos ao ajudante geral Marcelo Pereira da Silva, que ganhava apenas R$ 608,00, a administração de Leonel Martins de Oliveira simplesmente juntou no processo recibos falsificados para frustrar o recebimento de valores que Marcelo Silva teria direito. E isto durante o ano de 2.008, o que fica mais grave ainda já que o presidente do Conselho Deliberativo do Guarani era simplesmente um Promotor de Justiça, José Carlos Meloni Sicolli, eminência parda que vem tentar voltar ao cenário político bugrino pegando carona no provável afastamento de Leonel Martins de Oliveira. Curiosamente, no início desta semana, Sícolli esteve reunido às portas fechadas com Leonel Martins na sala da presidência no estádio Brinco de Ouro.

E não dá para Leonel Martins jogar a responsabilidade em um de seus antecessores, como José Luiz Lourencetti, Beto Zini, Jaime Silva, Pompeu de Vito ou Vicente Matallo, já que o processo iniciou-se em 28 de setembro de 2007, quando já fazia mais um ano que Leonel Martins tinha retornado à presidência do Guarani. Ou seja, todo o processo foi conduzido sob a responsabilidade de Leonel Martins.

"Falsificação comprovada e mudança de advogados"

No processo, o Guarani juntou recibos de pagamento de valores rescisórios com falsificação de assinatura do ex-funcionário Marcelo Pereira da Silva, que estranhou os documentos, fazendo com que houvesse perícia dos recibos. E a perícia conclui que os recibos apresentados pelo Guarani, por ordem de Leonel Martins, "tratavam-se de falsificação por 'imitação de memória'; modalidade em que o falsário, não dispondo naquele ato, de modelo autêntico, lança assinatura, recorrendo à memória", conforme está escrito no processo judicial.

Com isto, a sentença judicial simplesmente fez a conta do Guarani com o ex-empregado, que seria pequena, aumentar bastante. Com o trambique da falsificação, o Guarani terá que pagar multa e indenização a Marcelo da Silva e ainda teve um acrescimento de 20% dos valores por litigância de má-fé. A conta ficou maior ainda pois o Guarani terá que arcar com os valores da perícia que foi feita e que conclui que os documentos eram falsos.

"Apesar dos cálculos estarem homologados, o Guarani ainda não pagou nada. Fomos pegos de surpresa na audiência com a apresentação dos recibos e o meu cliente logo percebeu que eram falsos e informou a Juíza. Ela mandou fazer perícia e ficou provado que os documentos que o Guarani juntou eram falsos", explica a advogada Miris Albertin, advogada do ex-funcionário Marcelo, surpresa com a forma criminosa que o processo foi conduzido pelo Guarani.

O Guarani foi representado no processo pelos advogados Diego dos Santos Azevedo Gama e Ricardo Henrique Paradella Teixeira, que não mais atuam defendendo o Guarani.

"Este processo não está mais sobre minha responsabilidade e por uma questão ética não posso falar sobre ele. Eu era advogado voluntário, trabalhava nos processos sem nada receber, mas a direção do clube pediu para a gente passar o processo para o Dr. Fábio Ceroni. Sobre os documentos, juntamos apenas o que o próprio Guarani no trouxe, mas não lembro quem foi que me entregou. A procuração do Guarani para mim foi passada pessoalmente pelo Leonel Martins", justifica o advogado Diego Azevedo Gama em entrevista ao Portal Futebol Interior.

A sorte de Leonel Martins de Oliveira e de José Carlos Meloni Sícoli é que a Juíza Trabalhista Andrea Guelfi Cunha "comeu bola" e não mandou os documentos falsos para que a Polícia Federal fizesse investigação sobre a diretoria do Guarani, o que é comum em situações deste tipo. Assim, Leonel Martins se livrou de um processo-crime por falsificação de documento.

Aliás, se com um funcionário que ganha R$ 608,00, a camarilha de Leonel Martins de Oliveira age desta maneira, é de imaginar o que esta gente poderá fazer com valores maiores envolvidos.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 743 vezes




Comentários


Autor e data do comentário: Wherbest Araujo - 16/05/2013 14:29

O advogado citado nesse processo Diego dos Santos Azevedo Gama está representando a uma Distribuidora de derivados de petróleo em um processo que movi ação contra essa Distribuidora na 13ª vara do trabalho aqui de Fortaleza e em um dos documentos apresentados antes da audiência de 02/05/2013 ,minha advogada me alertou sobre um DOCUMENTO me questionando se eu HAVIA assinado um desacordo com minha assinatura e em resposta a minha advogada informei que não tinha ciência desse desacordo e sim de uma contra notificação que envie devidamente assinada por mim e autenticada em cartório e não um desacordo tal documento esse questionado pela minha advogada e postado no processo e que o advogado Diego dos Santos Azevedo é o representante jurídico dessa reclamada no caso dessa Distribuidora e que sabendo desse meu questionamento ,me fez uma proposta de ACORDO e a Distribuidora GANHOU 20 DIAS E mudou de advogado Processo nº 00003057120135070013 sou o reclamante de uma ação que movi contra essa Distribuidora reclamei o valor de R$ 1.829.423,73 tenho fé na Justiça ...

Deus , Nossa Senhora e as pessoas que acreditam em no PAI e na MÃE DO CRIADOR olham SIM pelos os Justos pois escutam os CLAMORES DO PEDIDO DE JUSTIÇA,o que essas empresas grandes pensam ,diferente DE MUITOS a JUSTIÇA DO TRABALHO LÊ TODOS OS DOCUMENTOS E EM CASO DE DUVIDAS SIM SÃO PERICIADOS e melhor se caso haja um documento que não houver o original E EM CASO DE DOCUMENTO MANIPULADO tem que ser enviado PELO JUIZ para a POLICIA FEDERAL solicitarei a os meus advogados a pedir a Exma Juiza do meu Processo nº 00003057120135070013 para periciar todos os documentos que apresentados nos altos por esse advogado Diego dos Santos Azevedo(representante jurídico da reclamada a "Distribuidora" situada em PAULÍNIA -SP-BRASIL) com diversas bases de distribuição de derivados de Petróleo NO NOSSO BRASIL .

Não tenho medo dessa Distribuidora ,apenas cobro meus direitos por ter o desprazer de ter sido contratado para trabalhar para essa Distribuidora , tenho certeza que DEUS Pai todo poderoso está trabalhando no milagre da justiça de DEUS que aqui na terra e na justiça dos homens há de acontecer.

Wherbest Araujo Fortaleza-CE-Brasil 85-8687 1130



O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Divulgação





NSC / LSI
Copyright © 1999-2018 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal