Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FRAUDES NAS EMPRESAS

Veja aqui a programação deste importante treinamento programado para o dia 26/04 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

10/11/2011 - IDG Now! Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

EUA acabam com golpe que envolveu 4 milhões de PCs e desviou US$ 14 milhões

Nasa informou problema ao Departamento de Justiça após ter mais de 100 computadores infectados por vírus; esquema atingiu 100 países.

O Departamento de Justiça (DOJ) dos EUA está processando sete pessoas, com 27 acusações de fraude eletrônica e outros crimes relacionados ao mundo da computação, alegando que o grupo invadiu 4 milhões de computadores espalhados por 100 países, em um sofisticado golpe de clickjacking (o chamadao sequestro de cliques).

De acordo com o processo, os acusados criaram uma falsa agência de publicidade online, fechando contratos com provedores de anúncios que pagavam ao grupo sempre que suas propagandas eram clicadas por usuários. O malware dos criminosos, que foi plantado em milhões de computadores, redirecionava os navegadores das máquinas para os seus anúncios, gerando, assim, rendimentos ilegais.

O programa nocivo funcionava ao capturar e alterar os resultados da ferramenta de busca do usuário. Quando uma pessoa buscava por um site popular, como Amazon, Netflix, Wall Street Journal, por exemplo, e clicava no link fornecido, o browser era redirecionado para outro site, que pagava ao grupo para gerar tráfego. De acordo com o Departamento de Justiça, o malware do grupo também bloqueava atualizações de antivírus, o que deixava os usuários vulneráveis a outros tipos de ataques.

Seis dos acusados moravam na Estônia durante a operação, que funcionou entre 2007 e 2011. Eles eram Vladimir Tsastsin, Timur Gerassimenko, Dmitri Jegorow, Valeri Aleksejev, Konstantin Poltev e Anton Ivanov. O sétimo acusado, Andrey Taame, residia na Rússia no período.

Os seis réus que moravam na Estônia foram presos pela polícia desse país e os EUA busca extraditá-los. Já Taame continua em liberdade, afirmou o procurador de Nova York, Preet Bharara, em uma coletiva de imprensa.

O DOJ entrou com o processo na corte istrital de Nova York. Cada um dos réus recebeu cinco acusações de fraude eletrônica e crimes de invasão de computadores, enquanto que Tsastsin recebeu mais 22 acusações por lavagem de dinheiro.

O Departamento de Justiça estima que o grupo gerou mais de 14 milhões de dólares por meio de seu esquema ilegal. Ao menos 500 mil dos computadores infectados estão nos EUA.

A rede de malware chamou a atenção do DOJ pela primeira vez por meio da Nasa, que tinha mais de 130 computadores rodando o malware. Apesar de continuar a investigar o problema, a agência espacial não acredita que seus sistemas operacionais mais importantes tenham sido comprometidos pelo software nocivo, afirmou um diretor da NASA.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 129 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2018 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal