Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


ÚLTIMOS TREINAMENTOS DE 2018 SOBRE FRAUDES E FALSIFICAÇÕES
Veja AQUI programação e promoções dos últimos treinamentos de 2018 da DEALL R&I
sobre Fraudes e Falsificações nos dias 14, 22 e 29 de novembro.


AFD SUMMIT
A maior Conferência de Investigação Corporativa & Perícia Forense da América Latina.
São Paulo dias 08-09 de dezembro de 2018


Acompanhe nosso Twitter

10/11/2011 - G1 Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

PF investiga fraude entre ONG em Minas e Ministério do Esporte

Mandados de busca e apreensão foram cumpridos em Juiz de Fora. Ninguém foi encontrado na ONG para falar sobre o assunto.

A Polícia Federal (PF) cumpriu mandados de busca e apreensão para investigar possíveis desvios de recursos públicos federais nesta manhã de quinta-feira (10). A operação foi realizada em Juiz de Fora, na Região da Zona da Mata, em Minas Gerais. De acordo com a PF, as buscas têm por objetivo investigar desvios de recursos de convênios firmados entre uma organização não governamental (ONG), em Juiz de Fora, e o Ministério do Esporte.

Ninguém foi encontrado na ONG para falar sobre o assunto. À TV Panorama, afiliada da TV Globo em Juiz de Fora, o presidente da organização não quis dar entrevista.

A polícia informou que, nos últimos anos, o Instituto Cidade recebeu cerca de R$ 9,5 milhões em repasses financeiros, que não teriam sido investidos devidamente pelos responsáveis da instituição. Segundo a corporação, o valor investido não corresponde à situação precária em que os núcleos abrangidos pelo Programa do Esporte se encontram. Na operação desta quinta-feira (10), os policiais avaliaram a estrutura da sede da ONG e filmaram janelas com vidros quebrados.

Os policiais também fizeram buscas na fábrica de artigos esportivos pertencente ao instituto, com autorização do presidente da instituição, José Augusto da Silva, e conversaram com funcionários. Na casa do presidente, materiais foram apreendidos e levados para a sede da Polícia Federal de Juiz de Fora.

Inicialmente, os crimes podem ter penas que variam entre dois anos e 12 anos de reclusão, informou a PF.

O G1 entrou em contato com a Polícia Federal, mas a corporação não informou que tipo de material foi apreendido.

O Ministério dos Esportes informou que vai apurar que tipo de convênio foi feito com o Instituto Cidade.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 126 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Divulgação





NSC / LSI
Copyright © 1999-2018 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal