Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FRAUDES NAS EMPRESAS

Veja aqui a programação deste importante treinamento programado para o dia 26/04 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

28/10/2011 - Diário de Cuiabá Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

‘Ficha Limpa’ vale para staff estadual

Por: Fernando Duarte

A Assembleia Legislativa derrubou o veto do governador Silval para barrar a indicação de “Ficha Suja.

O governo do Estado só poderá contar com servidores no primeiro escalão que forem “Ficha Limpa”. A decisão aconteceu ontem em sessão na Assembleia Legislativa que derrubou o veto do Executivo. O projeto de lei foi comemorado pelo autor, deputado Guilherme Maluf (PSDB), pelos 14 votos favoráveis e somente quatro contrários à medida. Não é possível conhecer quem foram os contrários porque o voto é secreto. Esse é outro ponto que, nacionalmente, está sendo questionado.

A previsão é de que a lei mato-grossense da Ficha Limpa seja promulgada até semana que vem, obrigando o Estado a se adequar à mudança. A nova lei tem os mesmos moldes do documento aprovado ano passado, antes das eleições, ou seja, ficam proibidos a políticos condenados em julgamentos colegiados de assumir mandato.

Por causa da proximidade entre a sanção presidencial e as eleições, o Supremo Tribunal Federal (STF) definiu que a lei não poderia valer para 2010 e só contaria nos próximos pleitos, sendo grande a chance de valer em 2012.

Em Cuiabá, o também tucano Antônio Fernandes propôs uma lei idêntica para os secretários da prefeitura, mas ainda não conseguiu o mesmo resultado. Há um ano tramitando na Casa, foi apresentado em julho de 2010, o projeto continua ‘empacado’ e sem previsão sobre quando poderá ser colocado em votação.

O cientista político João Edisom de Souza afirma que a nova lei pode reduzir a corrupção, mas não põe fim nela. “No campo da política é muito complicado. Ela não vai garantir o fim da corrupção, até porque isso transcende o Executivo. A corrupção também está no Judiciário, que é quem avalia esses casos”.

Entretanto, o professor lembra que medidas como essa ajudam a criar um conceito. “Eu não sou favorável à ideia de que lei vai resolver, mas é bom porque ajuda a desenvolver uma cultura nos órgãos públicos”.

Outro ponto que ele questiona é a qualidade do governo. João Edisom lembra que o fato do político ser ficha limpa – situação que ele coloca como obrigação para qualquer postulante a cargo público – não é garantia de competência ou que haverá um bom governo. Nesse caso, cabe também ao gestor definir os melhores a assumirem os postos no governo.

Alguns setores da sociedade, como o Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE), acreditam que ampliar a lei para outros cargos e setores do Estado é uma forma de evolução do documento, já que, além do voto, muitos políticos chegam ao poder pela indicação dos gestores, incluindo os cargos do Executivo.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 87 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2018 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal