Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FALSIDADE DOCUMENTAL NOS PROCESSOS ELETRÔNICOS

Veja aqui a programação deste inédito treinamento programado para o dia 20/12 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

10/10/2011 - InfoMoney Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Mais de 300 mil famílias paulistanas já foram vítimas de crime eletrônico

Por: Fernanda de Moraes Bonadia


SÃO PAULO - Mais de 300 mil famílias residentes na cidade de São Paulo possuem, pelo menos, um integrante que foi vítima de crimes realizados na internet. O dado faz parte de uma pesquisa realizada pela Fecomercio-SP (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo).

Outro resultado do levantamento demonstra que os homens são mais suscetíveis a essas práticas do que as mulheres: 9,72% dos paulistanos dizem já ter sido vítimas de um crime eletrônico, ao passo que 7,28% delas afirmam o mesmo.

Crimes virtuais

Dentre os ataques virtuais mais citados pelos entrevistados, estão:

Desvio de dinheiro da conta bancária - 24,71%
Clonagem de páginas pessoais - 15,29%
Não entrega de produtos comprados - 15,29%
Compras indevidas creditadas em cartão de crédito - 14,12%
Uso indevido de dados pessoais - 12,94%
Clonagem de cartão - 7,06%
Compras em lojas que não existem - 2,35%
Após ser vítima de um crime na web, 29,41% dos paulistanos não voltam a comprar na internet. Esse número é 5,01 pontos mais baixo do que o registrado em 2010, o que demonstra que os paulistanos estão aprendendo com os erros e procurando se proteger em vez de simplesmente abandonar o e-commerce.

Apesar disso, o total de consumidores que utiliza algum software de proteção para o aparelho eletrônico usado para as compras - como um antivírus - recuou de 79,45% para 76,85% em um ano.

Após ser uma vítima...

Quando os paulistanos são vítimas de algum dos crimes virtuais listados abaixo, o que eles fazem para solucionar o problema? De acordo com o estudo, o BO (Boletim de Ocorrência) é feito por 37,65% deles.

Com relação à clonagem de páginas pessoais, em 20% dos casos a solução encontrada foi cancelar a conta no site. Já os cartões de crédito ou débito são cancelados em 15,29% das ocorrências.

Os bancos, por sua vez, fizeram reembolso para os clientes em 9,41% das vezes e a operação foi cancelada com a operadora do cartão de crédito em 4,71% das ocorrências.

Sobre o estudo

A Pesquisa sobre Hábitos dos Paulistanos na Internet foi realizada em maio de 2011, com 1 mil entrevistados residentes na cidade de São Paulo. O objetivo era identificar os hábitos de consumo pela internet e questões relacionadas aos crimes eletrônicos.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 134 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2018 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal