Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


ÚLTIMOS TREINAMENTOS DE 2018 SOBRE FRAUDES E FALSIFICAÇÕES
Veja AQUI programação e promoções dos últimos treinamentos de 2018 da DEALL R&I
sobre Fraudes e Falsificações nos dias 14, 22 e 29 de novembro.


AFD SUMMIT
A maior Conferência de Investigação Corporativa & Perícia Forense da América Latina.
São Paulo dias 08-09 de dezembro de 2018


Acompanhe nosso Twitter

10/10/2011 - Diário do Nordeste Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Fraudes continuam em alta

Por: Nathália Lobo

´Defraudações´ recebe, diariamente, queixas de aposentados sobre o uso indevido de documentos para operações ilegais.

As fraudes na solicitação de empréstimos consignados continuam trazendo ´dor de cabeça´ à Polícia e fazendo cada vez mais vítimas entre os aposentados e pensionistas do Estado do Ceará. Os números não são fechados, mas dão uma ideia do volume dos golpes por meio dos Boletins de Ocorrência que todos os dias vão parar na mesa do delegado Jaime Paula Pessoa, titular da Delegacia de Defraudações e Falsificações (DDF). "Diariamente registramos, pelo menos, dois ou três B.Os. com este tipo de queixa, só na Defraudações", destaca.

Na manhã da última terça-feira (04), somente até as 10 horas, cinco pessoas tinham procurado aquela delegacia especializada no combate aos crimes de estelionato para queixarem-se dos golpes por meio de consignados. Uma das vítimas, pensionista do Ministério da Saúde, tomou um susto ao perceber em seu contra-cheque um desconto referente a uma parcela de R$ 25,00 de um empréstimo de mais de R$ 4,6 mil. E era apenas a primeira de 60 parcelas. "Nunca fiz esse empréstimo", disse a vítima à Polícia.

Outra vítima recente do golpe reside em Baturité e veio a Fortaleza para prestar a queixa. "Não faltam reclamações, tanto de pessoas que nunca fizeram um empréstimo consignado como de outras pessoas que fizeram um e tem dois, três empréstimos sendo descontados, ao mesmo tempo", diz o delegado.

Jaime alerta que algumas instituições financeiras não têm assumido a responsabilidade quando os golpes vêm à tona. "Algumas desaparecem, fecham, ninguém consegue mais encontrar. Temos inquérito aqui na DDF de empresa que fez centenas de empréstimos de maneira irresponsável e sumiu do endereço e do telefone fornecidos aos clientes quando a bomba estourou".

A maior preocupação da Polícia diz respeito ao público-alvo dos bandidos que praticam este crime. "Trata-se do público mais desassistido e mais desinformado, pessoas idosas, pensionistas, aposentados. Pessoas que recebem apenas um salário de benefício", informa.

Erro

Quando não são vítimas do golpe - por estelionatários que falsificam seus documentos e fazem o empréstimo em nome da vítima - os pensionistas e aposentados podem, muitas vezes, ser induzidos ao erro. "Temos registros de pessoas que desejavam fazer um pequeno empréstimo mas foram induzidas a assinarem mais dois, três papeis em branco. Com estas assinaturas, outros empréstimos foram solicitados sem o conhecimento da vítima", explica.

VÁRIAS IDENTIDADES

´Defraudações´ tenta prender golpista

A fragilidade para obtenção dos consignados e a ganância dos vendedores - grande parte, terceirizados das empresas de crédito - são fatores que, para o titular da ´Defraudações´ - tem colaborado para um volume maior de golpes. "Os empréstimos são solicitados apenas com a utilização de cópias de documentos, sem qualquer preocupação em verificar a autenticidade dos mesmos".

Atualmente, a DDF procura por uma mulher - cuja foto aparece em, pelo menos, cinco documentos com nomes diferentes - que está aplicando o golpe do empréstimo consignado em Fortaleza. Na semana passada, cinco carteiras de identidade falsificadas com a mesma fotografia desta mulher, CPFs e cartões bancários falsificados foram apreendidos pela Polícia. O homem que estava com a documentação - identidade preservada - argumentou que seu filho pequeno tinha encontrado os documentos na calçada. "Estamos investigando tudo isso, mas o nosso objetivo maior é identificar esta mulher cuja foto aparece nos documentos falsificados. Os documentos foram utilizados para abertura de contas, falsificação de comprovantes de endereço e realização de consignados em nome de terceiros", esclarece.

Dentre as vítimas desta mulher apareceram os nomes de Ana Paula da Silveira, Tânia Maria de Morais Leray, Francisca Vera de Oliveira, Teresa Liduína Araújo Sousa e Maria das Graças de Oliveira.

Para o delegado, é importante que as pessoas procurem a Polícia ao descobrirem que foram vítimas do golpe. "Desta forma, reunimos um número maior de casos, por empresas, e temos como realizar uma investigação mais rica em informações e chegar a identificação de pessoas envolvidas no crime".

Na manhã de quarta-feira (5), o delegado Jaime Paula Pessoa recebeu outro boletim de ocorrência que relatava o caso de mais uma vítima do golpe. A mulher - identidade preservada - procurou a Polícia, no 10º DP (Antônio Bezerra), quando descobriu que um empréstimo consignado no valor de R$ 81 mil tinha sido feito em seu nome. "De acordo com o relato da vítima, ela foi surpreendida com o primeiro desconto de uma parcela de R$1.366,56. O empréstimo foi feito para ser pago em 60 parcelas", mostrou.

A mulher de 52 anos que reside no bairro Quintino Cunha, prestou queixa no dia 27 de setembro deste ano, um dia depois de ver o desconto da parcela em seu contra-cheque. Quando o delegado Francisco Braguinha - titular do 10º DP - observou o BO, encaminhou de imediato o caso para a ´Defraudações´. "Vamos instaurar um inquérito para apurar o caso. Mais uma vítima e um caso que apresenta características semelhantes a outros já registrados na delegacia", explicou Jaime.

Queixas

O delegado explicou as pessoas devem procurar a Polícia assim que perceberem que foram vítimas do golpe do empréstimo. "É um golpe antigo, cheio de variações, que faz mais vítimas a cada dia".

Jaime Linhares afirmou que o golpe do empréstimo consignado não pode ser mais tolerado e considerado como um crime menor. "É uma megafraude, um grande golpe, que atinge cerca de dez por cento de todos os empréstimos contraídos no Brasil, organizado por uma rede criminosa sem dimensão, movimentando um volume estrondoso de empréstimos", revelou.

Números

81 mil reais foi o valor de um empréstimo consignado feito por estelionatários em nome de uma mulher residente no bairro Quintino Cunha. O caso está sendo investigado pela DDF.

5 carteiras de identidade com a foto da mesma mulher e em nome de pessoas diferentes foram apreendidas pela Polícia, que, agora, busca identificar a mulher da fotografia.

EM 2007

Diário denunciou a máfia dos empréstimos

Desde 2007 o Diário do Nordeste denuncia o problema que envolve a prática de empréstimos fraudulentos em nome de funcionários públicos, pensionistas e aposentados. Em reportagem publicada naquele ano sob o título "Máfia dos empréstimos consignados". Na época, o jornal acompanhou seis meses de investigações desenvolvidas pela DDF que resultaram no indiciamento de quatro empresários e na descoberta de várias empresas que praticam a atividade ilícita.

No andamento das investigações, a Polícia ouviu vários funcionários públicos que relataram ter tido descontados de seus vencimentos parcelas para pagamento por empréstimos não contraídos junto a tais empresas, o que caracterizou o crime de estelionato.

Em 2009, um novo golpe milionário envolvendo a realização dos consignados. Para praticar o crime, os estelionatários montaram uma extensa rede de comparsas que incluía os responsáveis pela obtenção da informação privilegiada sobre os dados cadastrais dos clientes que decidiam assinar o contrato de empréstimo consignado. Com base nas informações privilegiadas, eles se antecipavam ao correntista e sacavam o dinheiro.

Na ocasião, a Polícia prendeu seis pessoas e descobriu que a quadrilha tinha ramificações no Ceará e no Maranhão. A ação dos golpistas estava disseminada por várias cidades cearenses. "O golpe continua atingindo muita gente no Interior. Quando isso ocorre, as vítimas tem dificuldades em entender o que está acontecendo e demoram a procurar a Polícia".

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 286 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Divulgação





NSC / LSI
Copyright © 1999-2018 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal