Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


ÚLTIMOS TREINAMENTOS DE 2018 SOBRE FRAUDES E FALSIFICAÇÕES
Veja AQUI programação e promoções dos últimos treinamentos de 2018 da DEALL R&I
sobre Fraudes e Falsificações nos dias 14, 22 e 29 de novembro.


AFD SUMMIT
A maior Conferência de Investigação Corporativa & Perícia Forense da América Latina.
São Paulo dias 08-09 de dezembro de 2018


Acompanhe nosso Twitter

07/10/2011 - Paraná Online / Agência Estado Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Polícia de Nova York detém 111 por fraude com cartões


Caixas de bancos, trabalhadores de restaurantes e outros empregados em Nova York furtaram dados de cartões de crédito de turistas estrangeiros e norte-americanos de outras cidades, como parte de uma rede de roubos eletrônicos que se estendeu à China, Europa Ocidental e Oriente Médio, informaram nesta sexta-feira as autoridades. No total, 111 pessoas foram detidas. O roubo dos dados deixou milhares de vítimas e provocou um prejuízo de US$ 13 milhões. O fiscal Richard Brown, do distrito nova-iorquino do Queens, disse foi o maior caso de fraude que ele viu em duas décadas de trabalho. As acusações incluem corrupção empresarial e roubo.

"Esses furtos não foram o mesmo que assaltos a mão armada, mas o impacto disso sobre as vítimas foi o mesmo", disse Brown. Pelo menos três caixas de bancos, comerciários de lojas varejistas e trabalhadores de restaurantes furtavam os números dos cartões de crédito. Eles obtinham os números quando estavam com os cartões dos clientes, para cobrar uma conta, por exemplo. Depois, vendiam ilegalmente os números dos cartões. Outros membros das gangues furtavam os números dos cartões de crédito na internet.

Os números eram vendidos a fabricantes de cartões falsos das bandeiras Visa, MasterCard, Discover e American Express. Então equipes de "consumidores" munidas dos cartões falsificados iam às compras, gastando em lojas de luxo como Bloomingdale's, Macy's, Apple, Gucci e Louis Vuitton, entre outras. A mercadoria era mais tarde revendida na China, Europa e Oriente Médio.

Foram adquiridos produtos como iPads, iPhones, computadores, relógios de pulso e bolsas, disseram as autoridades. Os suspeitos também usaram os cartões para se hospedar em hotéis caros, bem como para alugar jatinhos e automóveis de luxo.

"Os ladrões possuem um conhecimento surpreendente de como usar a tecnologia", disse Brown. "A imaginação que se desenvolve nestes dias realmente é impressionante".

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 157 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Divulgação





NSC / LSI
Copyright © 1999-2018 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal