Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

18/09/2011 - pe360graus Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Banco suíço eleva para US$ 2,3 bilhões previsão de perda com fraude

Banco garantiu que operações não autorizadas não afetaram seus clientes. Operador foi detido, suspeito de ser o responsável pelo prejuízo.

O banco suíço UBS elevou neste domingo (18) para US$ 2,3 bilhões o prejuízo com operações não autorizadas com ações e alegou que um operador ocultou seus acordos de risco ao criar posições de hedge fictícias em sistemas internos.

O UBS preocupou os mercados na quinta-feira após anunciar que havia perdido com operações não autorizadas cerca de US$ 2 bilhões.

"O prejuízo é decorrente de operações especulativas não autorizadas em vários índices futuros do S&P 500, DAX e EuroStoxx nos últimos três meses" , afirmou o UBS em curto comunicado. "O prejuízo total é de US$ 2,3 bilhões. Conforme anteriormente divulgado, nenhuma posição de clientes foi afetada".

O presidente-executivo do banco, Oswald Gruebel, que voltou da licença em 2009, disse neste domingo não estar considerando deixar o cargo por conta da crise, mas afirmou que essa é uma decisão do conselho, segundo reportou um jornal.

Num memorando aos funcionários divulgado neste domingo, ele disse: 'Em último caso, é minha responsabilidade. Eu e os demais gestores sêniores somos responsáveis por reparar erros.'

Corretor suspeito

Na sexta-feira, o corretor Kweku Adoboli, suspeito de ter provocado a fraude que resultou em prejuízo bilionário para o banco suíço UBS, foi ouvido pela Justiça britânica.

A porta-voz da Polícia da City (centro financeiro da capital inglesa) de Londres afirmou que Adoboli, de 31 anos, foi acusado de "abuso de posição e fraude contábil". Ele deve permanecer detido até a próxima semana, quando será ouvido novamente. Adoboli não chegou a apresentar sua versão dos fatos, e falou apenas para confirmar seu nome, data de nascimento e endereço, de acordo com os jornais locais.

O corretor trabalhava com produtos financeiros complexos, no departamento de ETF ("Exchange Traded Funds", fundos cotados na bolsa que se comportam como ações), no setor de ações europeias.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 207 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados no topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Divulgação





Copyright © 1999-2021 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal