Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

24/08/2011 - Diário do Pará Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Fraudes na Cosanpa aconteciam há um ano


R$ 295 mil. Esse foi o tamanho do rombo deixado por um funcionário que ocupava cargo de confiança na Companhia de Saneamento do Pará (Cosanpa) e acrescentava valores “simbólicos” à sua folha de pagamento, que chegavam a até 32 mil mensais. A fraude foi descoberta durante uma revisão de rotina, em julho passado, que apontou “inconsistência no fechamento da folha”, discrepância nos valores apresentados nos relatórios impressos e magnéticos - este último era enviado ao banco para liberação do pagamento dos funcionários e recebia valores adicionais.

Em entrevista coletiva na tarde de ontem, Antonio Braga, presidente da Cosanpa, prestou esclarecimentos sobre a fraude identificada, cujo único beneficiário seria um servidor que ocupava cargo de gerência na área de Tecnologia da Informação (TI) da Companhia. O ex-funcionário, que não teve o nome revelado, estaria fraudando o relatório magnético há um ano, desde julho de 2010, quando foi contratado pela Cosanpa.

O esquema era tão bem feito que o ex-gerente criou um programa semelhante ao usado para gerar a folha de pagamento para a fraudar os relatórios, no qual acrescia ao seu nome os valores variantes entre 20 e 40 mil por mês. O presidente Antonio Braga, que assumiu o comando da empresa em janeiro deste ano, explicou que os acréscimos não foram detectados nas auditorias feitas pela Cosanpa no final do ano passado porque “passavam despercebidos pelas fiscalizações, já que no universo de 1.500 funcionários esse valor poderia ser referente aos benefícios e horas extras, por exemplo” disse.

Uma vez detectada a atividade fraudulenta, a Cosanpa fez um Boletim de Ocorrência e a partir da apuração dos fatos e constatação da fraude pôde abrir uma sindicância e fazer a demissão por justa causa. “Depois da demissão, entramos com uma ação na Justiça para que o dinheiro seja devolvido”, pontua o presidente. Até o momento não há informações sobre o envolvimento de outros funcionários na fraude.

O presidente da Companhia de Saneamento afirma que para evitar fraudes na folha, nova metodologia já foi adotada. “Entre as novas medidas, está a revisão de rotina para verificar se os valores estão condizentes e também a utilização de um outro programa para efetuar o fechamento dos pagamentos. Também será contratado um novo gerente de TI” explicou Braga.

“FALTA DE ATENÇÃO”

Em nota enviada à redação, o Sindicato dos Urbanitários do Pará (STIUPA) afirma que o dinheiro desviado pelo ex-gerente de TI dos cofres da Cosanpa se deu porque a direção da empresa não teria fiscalização de rotina, caso contrário o desvio não teria se estendido por 12 meses.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 177 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados no topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Divulgação





Copyright © 1999-2021 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal