Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

24/08/2011 - Jornal Cruzeiro do Sul Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Golpes de estelionato somam prejuízo de R$ 1,2 mi

Por: Marcelo Roma

José Borilho teria comprado cargas de leite, arroz e óleo de soja com documentos falsos.

Policiais civis de Sorocaba descobriram um golpe ousado, com a compra de grande volume de mercadorias no Paraná e em São Paulo. O acusado de estelionato é José Vanderlei Borilho, 42 anos, que tem passagens pelo mesmo crime. Ele não foi preso. Investigadores do 6º Distrito Policial estimam em R$ 1,2 milhão o valor das mercadorias adquiridas por meio de fraude: leite, arroz e óleo de soja. A carga de aproximadamente 10 caminhões, mais de 100 toneladas, estava armazenada em transportadoras e galpões alugados em Sorocaba e Iperó.

Uma cooperativa de laticínios de Londrina, Paraná, procurou a polícia de Sorocaba com a suspeita de que o comprador se fez passar por representante de uma grande distribuidora. José Borilho usou identidade falsa e papéis com nome da distribuidora. Da cooperativa, ele comprou a prazo o volume de 22 caminhões de leite em pó e em embalagem longa vida. O acusado contratou transportadoras para buscar a carga, que também não pagou, conforme apurou a investigação do 6º DP.

José Borilho também comprou arroz no Paraná e óleo de soja em Barueri, São Paulo. As notas fiscais eram emitidas para a distribuidora. Ele ia vender as mercadorias para mercearias e pequenos supermercados. Os investigadores acreditam que ele vendeu parte do arroz, leite e óleo de soja, além de ter praticado o mesmo golpe antes, mas com quantidades menores. As mercadorias apreendidas em transportadoras e galpões em Sorocaba e Iperó valeriam em torno de R$ 600 mil. As fornecedoras não chegaram a liberar tudo que foi comprado pelo acusado e vão ter que levar de volta o que já foi entregue. A investigação começou há uma semana e funcionários de pelo menos duas transportadoras reconheceram José Borilho por meio de foto.

Para aplicar os golpes, o acusado costuma mudar o cabelo e deixar crescer ou tirar barba e bigode. Na foto mais recente do arquivo da Polícia Civil ele aparece de bigode, mas quando ele encomendou as mercadorias no Paraná tinha o rosto limpo. A delegada Valderesa Galvão irá indiciar Borilho por estelionato. Ele não foi preso nem localizado ontem.

Velho conhecido

Borilho é velho conhecido da polícia de Sorocaba. Em fevereiro deste ano, ele foi detido por manter cargas de leite e açúcar obtidos por estelionato em dois galpões de Araçoiaba da Serra. Foi levado por policiais militares à delegacia da cidade, mas não ficou preso porque não houve flagrante. Em janeiro de 2006, Borilho era administrador de uma empresa de mudança e foi denunciado por clientes por não entregar os móveis, eletrodomésticos e outros objetos. Mais de dez famílias foram prejudicadas. Na época, em 2006, havia 11 inquéritos instaurados contra ele por golpes aplicados em Assis, Botucatu, Fartura, Ourinhos, Paraguaçu Paulista, Piraju, Presidente Prudente e Votorantim.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 1132 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados no topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Divulgação





Copyright © 1999-2021 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal