Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

01/08/2011 - Diário do Nordeste Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Clonagem a qualquer preço

Por: Nathália Lobo

Golpistas oferecem, na rede mundial de computadores, dados de cartões utilizados para golpear os consumidores.

"Vendo dados de cartão de crédito. Tenho diversos limites. Se quiser, lhe passo o número do cartão, CPF, data de nascimento do titular do cartão (são dados que eles pedem para consultar saldo). Você liga, consulta o saldo disponível e se estiver tudo certo, você me paga. Em seguida lhe dou os três dígitos, verso do cartão (código verificador), para você fazer as compras". O texto que inicia a reportagem é parte de uma negociação de trilhas de cartões de crédito a que o Diário do Nordeste teve acesso, com exclusividade.

A negociação acontece online, junto com diversas outras que correm, ao mesmo tempo. Trata-se de um fórum existente na Internet que possibilita o encontro de usuários da rede que atuam na clonagem de cartões e praticam golpes de estelionato.

"Eu tenho os dados de cartões de crédito (na web, conhecidos como cc) de diversas bandeiras", revela outro internauta. E todos eles fornecem e-mails para a troca de informações via MSN. "Gostei da sua proposta para começarmos um negócio. Como é seu esquema? Fico aguardando uma resposta", responde outro usuário, deixando registrado o seu endereço eletrônico para contato.

Outro participante do fórum oferece seu ´serviço´ de pagamento de boletos e financiamentos com dados de ´cc´ obtidos a partir da captação de trilhas. "É daí que começa o processo de clonagem de cartão, o crime que mais nos dá trabalho, atualmente", destaca o delegado Jaime Paula Pessoa Linhares, titular da Delegacia de Defraudações e Falsificações (DDF), do Ceará.

Jaime confirma, em entrevista exclusiva ao jornal, que a DDF já constatou, em recentes investigações, a venda de trilhas de cartões pela Internet. "Começa com troca de e-mails nesses fóruns e, depois, termina numa conversa mais privada, via MSN. Nesse mesmo momento acontece o fornecimento dos dados para pagamento e o envio do material comprado", conta.

Ousadia

A ousadia dos estelionatários não tem limites. Um deles, cujas postagens são frequentes no site, oferece dados de cartões de todas as operadoras e promete garantia de troca caso a numeração apresente algum problema. "Vendo ´info cc´ (informações de cartões de crédito) com garantia de troca, trabalho com todas as operadoras (Visa, Master, Dinners, Amex). Tenho vários limites, vendo Gold Platinum e Infinit. Interessados me add (adicionem). Tenho lote de 10 Amex por 800 reais com limite de até 12 mil", mostra outro anúncio de venda.

Alguns dos usuários oferecem passagens aéreas já compradas com cartões clonados. Outros se dizem online 24 horas. "Podem entrar em contato, estou online direto", avisa. Anúncios que oferecem lotes de cartões também são facilmente encontrados.

EVOLUÇÃO DOS GOLPES

Bandidos copiam cartões no ´atacado´

Os casos de clonagem, às vezes, demoram a ser descobertos pela vítima. Isso acontece quando o estelionatário ´estoura´ o limite do cartão, impossibilitando à vítima de realizar comprar ou saques ou, pior, quando a fatura chega no fim do mês. Há casos, menos frequentes, em que a administradora do cartão percebe a anormalidade - gastos que normalmente não são feitos pelo usuário - e entra em contato com a pessoa, já bloqueando seu cartão magnético.

As autoridades alertam que, em caso de clonagem de um cartão magnético, a primeira providência a ser tomada pela vítima é comunicar o caso à administradora e solicitar o bloqueio ou o cancelamento do cartão. Para se precaver de futuras dores de cabeça com a administradora, é imprescindível tomar duas medidas: anotar o número de atendimento e solicitar da administradora um fax que comprova o bloqueio ou cancelamento do cartão.

Registro

Depois disso, é importante que se vá até uma delegacia da Polícia Civil para registrar um Boletim de Ocorrência. "É importante que se reúnam todas as informações que possam resguardar a pessoa que foi lesada de cobranças indevidas. Mesmo aquelas que aconteceram antes do bloqueio", ressalta Jaime.

O mesmo vale para casos em que a compra foi realizada online. Com a fatura em mãos, o consumidor encontra gastos que estão sendo cobrados, mas não foram realizados por ele. "O procedimento deve ser o mesmo. A identificação dos envolvidos é que é mais difícil, embora já tenhamos tido sucesso em alguns casos. A verdade é que, hoje, a internet é um campo aberto para fraudes", diz.

A frequência com que são registrados casos de roubo de dados por meio de ´chupa-cabra´ instalados em terminais eletrônicos deixam os usuários de cartões magnéticos em estado de alerta. "Sempre fico tensa, olho bem para a máquina, verifico se não há câmera apontada para o teclado, mexo na leitora de cartão para ver se está solta. Mesmo assim, não estamos livres. Quem ainda não teve o cartão clonado conhece alguém bem próximo que já passou por isso", diz a bióloga Marina Duarte.

Sem cálculos

A preocupação apresentada por Marina tem fundamento. Em maio deste ano, por exemplo, um homem foi preso pela DDF com 320 cartões clonados, em Fortaleza.

O Ceará, conhecido como ´berço´ deste tipo de crime, já registrava em 2009 uma média de um cartão clonado a cada três dias. "Impossível fazer esse cálculo, atualmente. A velocidade no processo de clonagem mudou. Hoje acontece no ´atacado´", admite o titular da DDF, Jaime Paula Pessoa.

FACILIDADE

Máquinas ´chupa-cabra´ são vendidas por R$1,5 mil

As máquinas do tipo ´chupa-cabra´, que copiam e armazenam dados de cartões magnéticos - o primeiro passo para a clonagem - também são facilmente encontradas à venda no universo virtual. Numa pesquisa em sites especializados, rapidamente encontramos por R$1,5 mil uma máquina dessas com conexão USB para descarga das informações no computador. Outro anúncio assegura "uma fácil passagem do cartão, permitindo uma operação com vida útil de mais de 1.000.000 de passagens (gravação e leitura)".

Com variações de modelos, o produto é oferecido online por preços que variam entre R$1,4 mil e R$2,3 mil. "Com tanta facilidade para a execução das fraudes, os usuários têm mesmo é que se cercar de segurança", destaca Jaime.

O delegado recomenda que, além disso, as pessoas que forem lesadas em golpes desta natureza procurem a Polícia. "Apesar da demanda, temos como reunir ocorrências semelhantes e, quem sabe, chegarmos a desarticular uma quadrilha. Há vários casos assim sendo investigados", assegura.

Prisão

Umas das mais recentes prisões realizadas pela DDF tinha como base a negociação de trilhas pela Internet. Há pouco mais de uma semana, Nonásio Furtado de Menezes foi preso em flagrante depois de comprar duas TVs de Led usando um cartão clonado e carteira de identidade falsificada. Ele foi capturado no momento em que tentava repetir o feito, comprando mais duas TVs iguais, em um loja de produtos eletrônicos num shopping da Zona Norte da Capital.

Nonásio despertou a atenção de funcionários ao retornar à mesma loja, apenas quatro dias depois, com a intenção de adquirir mais dois produtos idênticos aos que havia comprado. O valor total da primeira compra tinha sido de R$4,5 mil.

O acusado foi levado à Delegacia de Defraudações e Falsificações (DDF), onde revelou ao delegado Jaime Paula Pessoa, titular da especializada, que tinha comprado as trilhas daquele cartão clonado, pela Internet, por R$500,00.

Gravações

1 milhão de passagens (gravação e leitura) podem ser realizadas com as máquinas do tipo ´chupa-cabra´ vendidas sem restrições pela Internet.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 1475 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados no topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Divulgação





Copyright © 1999-2021 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal