Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


AFD SUMMIT

A maior Conferência de Investigação Corporativa & Perícia Forense da América Latina.
São Paulo dias 08-09 de dezembro de 2018


Acompanhe nosso Twitter

07/07/2011 - Jornal do Povo de Três Lagoas Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Homem que aplicou golpes em TL é encontrado em Ponta Porã


O delegado acredita que com a divulgação da foto do marginal, outras possíveis vítimas apareçam Policiais de Ponta Porã detiveram na manhã desta quarta-feira (6) em Ponta Porã o elemento Robison André Honorato Munuera, 34 anos, vulgo "Branco", oriundo da cidade de Lins, no interior de São Paulo, acusado de aplicar golpes na cidade de Três Lagoas (MS) e em Ponta Porã.

Ele foi reconhecido por uma de suas vítimas, um empresário dono de uma pousada em Três Lagoas, que estava na fronteira a negócios e se deparou com o acusado. Imediatamente chamou a polícia e apontou "Branco" como sendo estelionatário.

Robison foi encaminhado ao 2º Distrito Policial, onde teve seu nome checado pelo delegado adjunto Alexandre Amaral Evangelista. O policial descobriu então que havia dois boletins de ocorrência pelo mesmo tipo de crime, registrados em Ponta Porã por suas vítimas, uma delas, menor de idade.

Golpe – Pelo que foi apurado até agora, "Branco" passou algum tempo hospedado em uma pousada de Três Lagoas, e circulava na cidade com um catálogo de vários tipos de produtos eletrônicos, que ele ‘vendia’ às pessoas que abordava, com promessa de entrega, após importação.

Eram notebooks, câmeras fotográficas, antenas parabólicas, netbooks, filmadoras, impressoras e equipamentos de informática, a preços atraentes, bem abaixo do praticado no mercado. Após coletar o "pedido", ele seguia em frente e dava até um telefone celular para ser contatado.

Sempre dava como endereço a pousada, da qual dizia ser “um dos proprietários”. Quando passou a ser questionado pelos ‘clientes’ sobre a demora na entrega dos produtos, "Branco" justificava que as mercadorias estavam retidas no porto de Santos.

A partir daí, passou a pedir metade do valor dos objetos encomendados, para poder “retirar a mercadoria no porto”, para depois entregá-las, quando então receberia a outra metade. Algumas pessoas acreditaram na história e deram dinheiro ao golpista.

Após fazer a "arrecadação", Robison Munuera fugiu de Três Lagoas, deixando para trás várias vítimas e até as despesas de sua hospedagem na pousada, cujo verdadeiro dono era uma de suas vítimas. O que o marginal não contava era com o fato de que o mundo é muito pequeno.

Levado à delegacia, "Branco" foi indiciado em inquérito por estelionato e liberado. Contudo, o delegado informou que pretende pedir a prisão preventiva do acusado nesta quinta-feira. O delegado acredita que com a divulgação da foto do marginal, outras possíveis vítimas apareçam. “Pode ser que haja pessoas que foram enganadas e ainda não sabem”, disse ele.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 285 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Divulgação





NSC / LSI
Copyright © 1999-2018 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal