Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


ÚLTIMOS TREINAMENTOS DE 2018 SOBRE FRAUDES E FALSIFICAÇÕES
Veja AQUI programação e promoções dos últimos treinamentos de 2018 da DEALL R&I
sobre Fraudes e Falsificações nos dias 14, 22 e 29 de novembro.


AFD SUMMIT
A maior Conferência de Investigação Corporativa & Perícia Forense da América Latina.
São Paulo dias 08-09 de dezembro de 2018


Acompanhe nosso Twitter

07/07/2011 - Portal Terra Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Polícia indicia 32 ex-prefeitos por fraudes de R$ 360 mil em GO

Por: Mirelle Irene


A Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Contra a Administração Pública (Derccap), em Goiânia, divulgou nesta quinta-feira o resultado da investigação que descobriu um esquema de venda de notas frias de mercadorias em 32 prefeituras do Estado. Foram indiciadas 50 pessoas, incluindo os 32 ex-prefeitos (eleitos em 2004), além de secretários municipais, que compravam as notas de mercadorias que não eram entregues. A polícia acredita que R$ 360 mil foram movimentados pela fraude.

Segundo a delegada adjunta Érica Brotel, o ex-técnico de enfermagem, Divino Antônio de Melo, 49 anos, que seria o responsável pela emissão das notas. A delegada diz que o suspeito oferecia o "serviço" em troca de uma comissão de 5 a 10% sobre o valor de produtos para uso hospitalar.

As investigações apontaram que Divino mantinha em Goiânia uma firma de fachada desde 2000. "Ele tomava o cuidado de passar notas de valores abaixo do exigido para licitação, entre R$ 3 a R$ 20 mil", disse a delegada. A fraude foi descoberta via pagamentos por meio de cheques que foram rastreados pela polícia. A quebra de sigilo bancário dos envolvidos encontrou dinheiro da fraude no valor destes cheques depositados em contas dos suspeitos.

Os acusados foram indiciados pelo crime de responsabilidade de prefeito, que pune apropriação ou desvios de bens ou rendas públicas em proveito próprio ou alheio, bem como a utilização, indevida, de bens, rendas ou serviços públicos. A pena prevista é de 2 a 12 anos de prisão. Ninguém foi preso até agora, mas a Justiça pode decretar a prisão preventiva dos envolvidos a qualquer momento.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 193 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Divulgação





NSC / LSI
Copyright © 1999-2018 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal