Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


Acompanhe nosso Twitter

07/07/2011 - TI Inside Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Fraude on-line gera perda de US$ 1,4 bilhão a companhias aéreas em 2010


Pesquisa encomendada pela CyberSource, empresa de gestão de pagamentos controlada pela Visa, revela que, embora as companhias aéreas estejam ganhando terreno no combate à fraude, a prática de ludibriar os sistemas na emissão de passagens on-line ainda causa prejuízos significativos ao caixa das empresas. Para se ter uma ideia, somente no ano passado, as companhias aéreas relataram perdas de aproximadamente US$ 1,4 bilhão devido a fraudes em pagamentos on-line.

"A boa notícia em relação a esses números é que os resultados de 2010 mostraram uma melhora de 31% em comparação com 2008. As companhias aéreas não só reconheceram o desafio como fizeram ajustes para superá-los", explica Guillermo Rospigliosi, nomeado recentemente diretor-geral da CyberSource para a América Latina e Caribe.

Segundo a pesquisa, as mudanças que as empresas têm adotado nos últimos dois anos incluem a maior utilização de ferramentas automatizadas de detecção de fraudes em transações (em média 7,3 ferramentas, comparadas a 5,8 em 2008), assim como a recusa de um maior número de reservas devido a suspeita de fraude.

O estudo releva, ainda, que as companhias aéreas com menos de três anos de experiência nas vendas on-line registram taxas mais altas de perdas por fraude, índices mais altos de revisões manuais e um número maior de transações recusadas em comparação aos concorrentes com mais experiência. Aquelas que atuam há mais de dez anos na venda on-line de passagens, por exemplo, revisam manualmente 15% de suas reservas, enquanto as que possuem menos de três anos de conhecimento nessa área revisam 53%.

O levantamento contatou, ainda, que apenas 3% das companhias aéreas utilizam serviços de consultoria de crédito para validar as reservas. No entanto, a pesquisa aponta que o uso de biometria e de modelos de categorização de fraude estão entre as ferramentas mais consideradas para uso futuro pelas empresas.

A pesquisa foi realizada no período de 17 de novembro de 2010 a 31 de janeiro deste ano, em que foram consultados 142 executivos de companhias aéreas, com receitas superiores a US$ 500 milhões.

Cenários típicos de fraude

1. O fraudador obtém os dados de um cartão por meios ilegais.

2. O fraudador obtém nome, endereço e outras informações de um cliente idôneo interessado em comprar passagens com desconto.

3. O fraudador compra a passagem em nome de um cliente utilizando o número do cartão de crédito roubado.

4. O fraudador entrega a passagem ao cliente e recebe o pagamento em dinheiro.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 248 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados no topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Divulgação





Copyright © 1999-2021 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal