Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FALSIFICAÇÃO DOCUMENTAL NOS PROCESSOS ELETRÔNICOS

Veja aqui a programação deste importante treinamento programado para o dia 16/08/2018 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

02/07/2011 - G1 Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Operação da polícia investiga fraude em evento cultural de Sobradinho

Investigações indicam que houve superfaturamento e dispensa de licitação. Ex-administrador diz que dispensa foi legal e nega superfaturamento.

Com base em uma denúncia anônima, a Polícia Civil investiga ilegalidades num evento de turismo rural de Sobradinho, realizado em outubro do ano passado pela administração da cidade. Entre os problemas indicados pela polícia estão dispensa de licitação, superfaturamento de shows e atestados falsos na prestação de contas.

Numa nota, um funcionário da administração atesta que o evento foi cumprido integramente. Mas, de acordo com as investigações, o festival, que deveria ocorrer em dois dias, foi realizado em apenas um. Além disso, das cinco bandas pagas com dinheiro público, somente duas se apresentaram.

De acordo com o delegado Flamarion Vidal, responsável pelo caso, um cantor contou em depoimento que cobra em média R$ 1,5 mil por um show. No evento em Sobradinho, porém, o cachê subiu para R$ 10 mil.

O evento sob suspeita custou R$ 100 mil. O dinheiro foi liberado por meio de uma emenda do deputado distrital Raad Massouh (DEM), que hoje emprega no gabinete o ex-administrador de Sobradinho responsável pelo evento, Carlos Augusto de Barros. Nas contas da polícia, o valor cobrado a mais pode chegar a R$ 90 mil.

O deputado Raad Massouh disse que apresentou a emenda com o intuito de fomentar o turismo na região e não para fazer shows. Ele informou ainda que não tem nada a ver com a organização do evento e que na próxima segunda-feira (4) vai apurar no gabinete eventuais deslizes cometidos pelo funcionário.

O ex-administrador de Sobradinho informou que dispensou a licitação amparado por lei. Ele discorda que houve superfaturamento dos shows e explicou que o evento só foi feito em um dia por problema na geração de energia. Quanto aos artistas que não se apresentaram, ele disse que os shows foram compensados de outra forma.

Como parte da operação, a Polícia Civil cumpriu, neste sábado (2), mandados de busca e apreensão em três endereços de Sobradinho. A casa do ex-administrador foi um dos endereços verificados pela polícia.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 1104 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2018 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal