Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FALSIDADE DOCUMENTAL NOS PROCESSOS ELETRÔNICOS

Veja aqui a programação deste inédito treinamento programado para o dia 20/12 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

15/06/2011 - Jornal de Itupeva Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Supervisor quase é lesado em mais de R$ 17 mil

Homem descobriu 3 saques indevidos (2 em Jundiaí e um em SP), feitos com CNH falsa.

Um supervisor de 32 anos procurou a polícia, na noite de anteontem, para registrar ocorrência de estelionato. Ele foi vítima de três saques indevidos, que totalizaram R$ 17.180, feitos no nome dele. Duas operações foram realizadas em financeira localizada no interior de uma empresa do Vianelo, e a outra, em São Paulo.

O homem agiu rápido e tudo não passou de um grande susto. As operações foram anuladas. O supervisor procurou o estabelecimento de Jundiaí e conversou com uma atendente. Ela lhe mostrou os documentos usados nas transações e o supervisor viu que a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) tinha os dados dele, mas era falsa.

A foto, a data e o local de emissão do documento não batiam com os da carteira do sujeito lesado.
“Fiquei preocupado e tomei providências rapidamente. Vale o alerta para que os leitores estejam atentos a este tipo de golpe”, informou.

Procon

O Jornal de Jundiaí Regional procurou o Procon de Jundiaí e, de acordo com o coordenador do órgão, Antonio Augusto Giaretta, o consumidor que passar por uma situação como essa deve, em primeiro lugar, registrar ocorrência na Delegacia o mais rápido possível. “Depois disso, a pessoa terá que ligar para todas as empresas responsáveis pelos cartões de crédito ou financiamentos, ofertados aos cidadãos, comunicando a fraude”, contou Giaretta.

No caso do supervisor de Jundiaí, uma única operadora foi contatada, de acordo com a vítima, por ser a que liberou o crédito nas três operações indevidas. “O artigo 14 do Código de Defesa do Consumidor garante ao cliente que ele não pode responder pelo risco da operação e reparação de danos causados, por exemplo, independente da existência de culpa. Isso é incumbência do fornecedor”.

Antonio completou dizendo que, se estas providências não forem tomadas pela operadora, o cidadão tem que procurar o Procon, para abertura de reclamação.

“Vale lembrar que o consumidor pode ser vítima em operações de produtos de várias empresas. Se isso ocorrer, terá que ligar para o serviço de atendimento de todas elas”, encerrou Giaretta.

Serviço

O Procon de Jundiaí funciona de segunda à sexta-feira, das 8h às 18h (a entrega de senha para atendimento ao público é até 16h). O órgão fica na Rua Barão de Jundiaí, 153, no Centro. Mais informações pelos telefones 4522-1462 e 4522-1486.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 191 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal