Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FALSIDADE DOCUMENTAL NOS PROCESSOS ELETRÔNICOS

Veja aqui a programação deste inédito treinamento programado para o dia 20/12 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

07/06/2011 - A Crítica (Manaus) Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Dossiê revela fraude no sistema de transporte executivo em Manaus

Por: Ana Carolina Barbosa

O diretor-presidente da SMTU, Marcos Cavalcante, teria recebido cerca de R$2,5 milhões para inserir empresas e cooperativas no sistema.

Um dossiê foi protocolizado, na manhã de hoje, no Ministério Público Estadual (MPE), denunciando um esquema de fraude no sistema de transporte executivo de Manaus, no qual o diretor-presidente da Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU), Marcos Cavalcante, já teria lucrado cerca de R$ 2,5 milhões para a duplicação do número de micro-ônibus na cidade.

O documento, denominado “carta aberta”, foi entregue por um permissionário que preferiu ter a identidade preservada. O documento, que também foi entregue à Câmara Municipal de Manaus (CMM), afirma que duas empresas (Levi Transportes e VC Transportes) e dez novas cooperativas foram inseridas em 2010 no sistema - até então com cerca de 150 alternativos -, ao valor de R$ 50 mil, cada. A inserção somou outros 126 veículos, o que contabilizou quase 300 circulando na cidade desde lá. Cada um deles pagou, segundo a denúncia, R$ 15 mil ao presidente da Cooperativa dos Permissionários do Transporte Alternativo do Estado do Amazonas (Coopermo), Júlio Oliveira, que representava Marcos Cavalcante no esquema.

Além disso, constam no dossiê recibos emitidos pela Coopermo nos valores de R$15 mil cada, e cuja descrição é a seguinte: Venda de vagas no sistema de transporte executivo. O valor garantiu aos permissionários o selo de vistoria, concedido pela SMTU. Ao todo, Marcos Cavalcante recebeu, segundo o dossiê, R$2.490 milhões.

“Ele (Marcos Cavalcante) nos ameaça diariamente e diz que quando os ônibus chegarem, vamos ter que sair do sistema. Mas, como é que vamos sair se já operávamos antes? A mesma coisa ele está fazendo com os alternativos, cobrando R$15 mil por um contrato de quatro anos”, assegurou o denunciante.

O diretor-presidente da SMTU, Marcos Cavalcante, classificou a denúncia como “uma indignidade” e preferiu não comentar o assunto. Ele concederá, às 9h de amanhã, uma entrevista coletiva, no Terminal Rodoviário Engenheiro Huascar Angelim, localizado na avenida Mário Ypiranga Monteiro, antiga Recife. Na ocasião, ele prometeu revelar “tudo que estamos enfrentando no transporte coletivo da cidade”. Cavalcante adiantou que, com a chegada dos ônibus novos que comporão o sistema de transporte coletivo da capital, os executivos serão tirados de circulação.

A equipe de ACRITICA.COM tentou contato com o presidente da Coopermo, bem como com a assessoria do MPE, mas não obteve sucesso.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 434 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal