Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FALSIDADE DOCUMENTAL NOS PROCESSOS ELETRÔNICOS

Veja aqui a programação deste inédito treinamento programado para o dia 20/12 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

02/06/2011 - Diário de Canoas Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Cinco pessoas são denunciadas por fraude no Minha Casa, Minha Vida

Por: Sônia Betinelli

Entre os nomes estão dois vereadores e três pessoas de uma associação de bairro.

Portão - O promotor Marcelo Tubino remeteu, na quarta-feira (1) ao Fórum da cidade a denúncia contra cinco pessoas por envolvimento em esquema de fraude envolvendo a construção de moradias populares em Portão. Foram denunciados o vereador João Pedro Gaspar dos Santos (PT), o ex-vereador Clério Von Muhlen (PT) – detidos na Operação Habitare, da Promotoria de Justiça e Brigada Militar no dia 19 de maio – e mais três pessoas ligadas a uma associação de bairro e a uma cooperativa. Entre elas está José Valdir Silva, preso em flagrante, também no dia 19, pelo porte ilegal de arma. Com ele haviam sido encontrados R$ 13 mil. Os três foram soltos por meio de habeas corpus.

Quadrilha

Conforme o promotor, as cinco pessoas investigadas deverão responder por crime de apropriação indébita, falsidade ideológica, estelionato, quadrilha e bando e lavagem de dinheiro.As penas podem chegar de sete a 25 anos de reclusão. A denúncia contém 28 laudas e 37 testemunhas.

Como funcionava o esquema

Conforme o MP, moradores faziam financiamentos para construção de moradias por meio de associações de bairros ou cooperativas. Os cinco investigados colocavam comparsas nos cargos diretivos dessas entidades, para onde eram enviadas verbas públicas. Em seguida, as casas eram construídas parcialmente e com materiais de segunda linha, lesando as vítimas. "Com isso, os fraudadores se apropriavam do restante do crédito habitacional conferido a cada beneficiário", esclarece o promotor.

Nome de terceiros

Segundo Marcelo Tubino, os denunciados, para dissimularem a riqueza ilegalmente adquirida, compraram imóveis em nome de terceiros, participaram faticamente de sociedade em nome de terceiros, adquiriram veículos em nome de laranjas, além de transferirem capital das pessoas jurídicas para contas de outras empresas que eram de seu domínio fático. Em sete meses de investigação, o MP apurou desvio de R$ 800 mil destinados à construção de casas populares.

Defesa aguarda

A advogada de defesa dos denunciados, Eloisa Corinaz Pereira, disse na noite de quarta (1º) ao Jornal VS que ainda não havia tomado conhecimento da denúncia do promotor. “Vou conferir o teor para depois falar.” Na segunda-feira, o vereador João Pedro Gaspar dos Santos usou a tribuna da Câmara de Vereadores para se defender do que classificou como “política mesquinha”. O vereador disse que só 5% das pessoas beneficiadas com as casas reclamaram.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 696 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal