Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FALSIDADE DOCUMENTAL NOS PROCESSOS ELETRÔNICOS

Veja aqui a programação deste inédito treinamento programado para o dia 20/12 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

25/05/2011 - Rondoniagora Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Ex-funcionário que acusa sindicato falsificou diploma de jornalista, diz PF e MPF


Ex-funcionário do Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil do Estado de Rondônia (STICCERO), que se passava por jornalista profissional, é acusado pelo Ministério Público Federal e pelo Sindicato dos Jornalistas de Rondônia (SINJOR) por falsificação de diploma de jornalista.

A ação foi protocolada na Justiça Federal em 07/10/2010, sob o nº 14325-82.2010.4.01.4100, pelo MPF onde acusa Danny Bueno de Moraes de falsificar diploma de graduação no curso de Comunicação Social da Universidade Federal do Estado do Mato Grosso (UFMT).

A falsificação foi descoberta inicialmente quando Danny Bueno solicitou seu registro profissional junto ao SINJOR. Ao analisar a documentação apresentada, o presidente do sindicato observou que o documento apresentava inconsistências, consultou a UFMT e descobriu que se tratava de falsificação de documento público, crime previsto no Código Penal nos seus artigos 297 e 304, respectivamente.

O delegado de Polícia Federal, Rômulo Sossai Berger, conclui em seu relatório que Danny Bueno, “cometeu os crimes de Falsificação de Documento Público e Uso de Documentos Falsos”. O Procurador da República, Heitor Alves Soares afirmou na denúncia que “ultimadas as diligências ficou comprovado que o Diploma é falso, foi assinado pelo denunciado e praticado o seu uso com fim ilícito, fatos estes comprovados através de Laudo de Exame Documentoscópico e Grafotécnico”.

As testemunhas confirmaram a acusação durante a fase do inquérito, já Danny Bueno preferiu permanecer calado diante das perguntas na lavratura do Auto de Qualificação e Interrogatório, um direito constitucional. As provas documentais e testemunhais são categóricas em apontar o “suposto jornalista” como autor da falsificação e responsável pela sua utilização para fim ilícito. O Ministério Público Federal apresentou a denúncia e pede a condenação do denunciado.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 398 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal