Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FALSIDADE DOCUMENTAL NOS PROCESSOS ELETRÔNICOS

Veja aqui a programação deste inédito treinamento programado para o dia 20/12 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

24/05/2011 - Portal Terra Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

SP: empresários presos confirmam fraudes em Campinas ao MP

Por: Daniel Nicolini

Cerca de 120 policiais cercaram a prefeitura de Campinas em ação que prendeu 11 pessoas na sexta-feira.

Dois empresários suspeitos de integrar um esquema de fraudes em Campinas confirmaram nesta segunda-feira, em depoimento ao Ministério Público, denúncias de corrupção na prefeitura da cidade. Alfredo Antunes e seu filho, Augusto Ribeiro Antunes, sócios da empresa Global Serviços, afirmaram aos promotores que pagaram propina para manter os contratos que tinham com a Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento (Sanasa), empresa de capital misto controlada pela prefeitura de Campinas. A informação foi divulgada pelo advogado de defesa dos dois suspeitos, Edson Carneiro Junior.

Segundo o advogado, os dois empresários foram obrigados a pagar propina diretamente ao presidente da Sanasa na época, Luiz Augusto Castrillon de Aquino. "Se não pagassem, existiria um desconto na fatura mensal", afirmou o advogado. "A propina era uma obrigação de todas as empresas que trabalhavam lá, sob pena de ter seu contrato rescindido."

A Global Serviços é uma empresa de manutenção e jardinagem. Inicialmente, segundo Carneiro Junior, foi obrigada a prestar serviços particulares em propriedades de Aquino para garantir o contrato com a Sanasa. Mais tarde, os serviços deixaram de ser prestados e Aquino passou a exigir dinheiro para liberar os pagamentos à empresa. O advogado disse ainda que a Global repassou mensalmente a Aquino cerca de R$ 5 mil durante dez meses.

Carneiro Junior afirmou que a Global denunciou o esquema de corrupção ao Mistério Público em janeiro. Segundo ele, seus clientes estão dispostos a colaborar com a investigação e, portanto, acredita que a prisão temporária deles não será prorrogada.

Ao todo, 11 suspeitos estão presos temporariamente em Campinas desde sexta-feira. O prazo da prisão temporária acaba às 23h59 desta terça-feira, mas pode ser prorrogado por mais cinco dias. Nove pessoas são consideradas foragidas da Justiça, entre elas o vice-prefeito, Demétrio Vilagra, o secretário municipal de Segurança Pública, Carlos Henrique Pinto, e o coordenador de Comunicação, Francisco de Lagos Viana Chagas. Os dois últimos foram exonerados nesta terça-feira.

O ex-presidente da Sanasa Luiz Augusto Castrillon de Aquino não está na lista dos 20 nomes com prisão decretada pela Justiça. Em janeiro, ele fez acordo de delação premiada. Por ajudar nas investigações, segue em liberdade.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 153 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal