Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FALSIDADE DOCUMENTAL NOS PROCESSOS ELETRÔNICOS

Veja aqui a programação deste inédito treinamento programado para o dia 20/12 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

16/05/2011 - O Globo Online Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Falso médico atendeu pelo menos 150 pessoas em Serra Negra, SP


SÃO PAULO - A polícia de Serra Negra, cidade a 128 quilômetros de São Paulo, abriu inquérito para apurar as consequências da atuação de um falso médico, que trabalhou por quatro meses como clínico geral no pronto socorro do hospital Santa Rosa de Lima. Ele está desaparecido há uma semana.

Em quatro consultas, o falso médico receitou para a mãe de uma mulher que não quer se identificar, injeções para diminuir sintomas de cansaço, enjoo, e outros efeitos colaterais comuns em tratamentos contra o câncer. Ao saber que ele não estava habilitado para prescrever nenhum tipo de tratamento ela foi pedir explicações aos responsáveis pelo hospital.

- Minha preocupação é que ela não poderia receber outro medicamento, devido ao câncer, e eu não sei se ela recebeu medicamento que possa atrapalhar o tratamento. Quem contratou esse falso médico - disse a mulher.

Alguns técnicos de enfermagem que trabalharam com o falso profissional desconfiaram da conduta dele.

- Ele prescrevia medicação de adulto para criança. Mas a gente não dava - disse Adenilson Leme Affonso, que trabalha no pronto socorro.

De acordo com a direção do hospital, o falso médico atendeu cerca de 150 pessoas nos plantões de fim de semana no pronto socorro. De acordo com o que foi apurado, ele se chama Caio Solidad Goulart, mas se apresentou com outro nome e usava cópias de documentos falsos. Ele preencheu a ficha de cadastro usando um número de registro no Conselho Regional de Medicina (CRM) que pertence a outro médico.

Segundo o advogado Leandro Affonso Tomazi, ele também apresentou referências que foram confirmadas na cidade de Águas de Lindóia, onde teria atuado por vários meses. Mas todas as vezes que foi cobrado a apresentar os documentos originais alegava problemas pessoais. Ainda segundo o advogado, assim que o hospital foi notificado pela prefeitura e o Conselho Municipal de Saúde confirmou a fraude, a entidade demitiu o funcionário e registrou boletim de ocorrência. O advogado do hospital avalia que a entidade também foi vítima de estelionato.

A administração da Santa Casa de Águas de Lindóia informou que vai apurar a atuação do falso médico por lá e como foi feita a contratação dele.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 194 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal