Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


FALSIDADE DOCUMENTAL NOS PROCESSOS ELETRÔNICOS

Veja aqui a programação deste inédito treinamento programado para o dia 20/12 em São Paulo

Acompanhe nosso Twitter

06/05/2011 - Último Segundo Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Brasil e EUA juntos contra crimes no mercado de capitais

Por: Olívia Alonso

Reguladores querem melhorar comunicação para resolver casos de fraudes contáveis, informações privilegiadas e manipulações.

Entidades reguladoras do Brasil e dos Estados Unidos vão aumentar a cooperação no combate a fraudes contábeis, informações privilegiadas e manipulações nos mercados de capitais. Durante uma semana, representantes da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e do regulador norte-americano, a Securities and Exchange Commission (SEC) se reuniram em São Paulo com procuradores, delegados e representantes do departamento de investigação federal norte-americano FBI para discutir como melhorar a prevenção dos crimes nos dois países.

Essa cooperação é necessária, segundo Scott Birdwell, conselheiro para fiscalizações internacionais da SEC, não apenas para a troca de experiências, mas também para a solução conjunta dos casos. Ele afirma que cerca de 30% dos crimes investigados nos Estados Unidos têm alguma relação com outros países. “Pelo menos 10% das empresas listadas nos Estados Unidos são estrangeiras, então sempre que as investigamos, o caso se torna internacional”, afirmou Birdwell nesta sexta-feira, último dia do evento “Supervisão e Enforcement do Mercado de Capitais”, em São Paulo. “Não podemos proteger nosso mercado sem parcerias com o mundo. A força de qualquer mercado de capitais, hoje, depende dos outros,” acrescenta.

Neste sentido, os órgãos reguladores reforçam a importância de uma troca de informações cada vez mais rápida entre os países. “Como não se pode identificar um crime no mercado financeiro antes que ele aconteça, tentamos capturar o problema e iniciar o trabalho no começo de seu ciclo,” afirma Birdwell.

Alexandre Pinheiro dos Santos, procurador-chefe da procuradoria federal especializada da CVM, afirma que este contato entre as entidades no momento da detecção dos casos é rápido e ágil. “Não é preciso oficializar nada no papel antes de investigar. Passamos a mão no telefone e comunicamos o caso aos colegas de outros países. Rapidamente, equipes são acionadas em todos os locais que possam estar envolvidos.”

A importância do combate ao crime financeiro e proteção aos mercados de capitais, segundo os representantes dos órgãos reguladores, vai além do objetivo de punir os criminosos, uma vez que os efeitos da ação criminosa podem ter impactos em toda a sociedade e trazer danos aos sistemas financeiros. Além disso, eles destacaram que os mercados de capitais vêm se tornando cada vez mais essenciais ao crescimento econômico, o que exige o aprimoramento de sua proteção. “Em alguns anos, teremos 9 bilhões de pessoas no mundo, que vão precisar de mais recursos, mais alimentos. O crédito bancário não será suficiente e os mercados de capitais serão cada vez mais importantes,” afirma Birdwell.

Casos

Além da crise financeira de 2008, que foi desencadeada por crimes financeiros de empresas norte-americanas, também ganharam repercussão no Brasil os casos da Sadia e da Randon. A empresa de alimentos teve um ex-diretor e um ex-conselheiro condenados no início deste ano – pela primeira vez no País - pelo uso de informações privilegiadas em negociações de ações em Bolsa de Valores, conhecido como "insider trading". O mesmo crime foi identificado entre sócios e executivos da Randon, cujo caso agora está na fase de apresentação de defesa dos réus, segundo Santos.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 202 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal