Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


ÚLTIMOS TREINAMENTOS DE 2017 SOBRE FRAUDES e DOCUMENTOSCOPIA

Veja aqui a programação dos últimos treinamentos sobre Falsificações e Fraudes Documentais (16/11) e sobre Prevenção e Combate a Fraudes em Empresas (30/11).

Acompanhe nosso Twitter

04/05/2011 - Infonet Notícias Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Líder da quadrilha que fraudava leilões é empresário do ramo automotivo

Por: Aldaci de Souza

A Operação Arremate que prendeu 16 pessoas nesta quarta-feira, 4 em Aracaju, acusadas de envolvimento em fraude de leilões foi detalhada pela Polícia Federal.

O superintendente do Polícia Federal (PF) em Sergipe, José Grinaldo de Andrade, e o procurador do Ministério Público Federal (MPF), Paulo Guedes, detalharam durante coletiva de imprensa na tarde desta quarta-feira, 4, a Operação Arremate, que cumpriu 11 mandados de prisão preventiva, cinco mandados de prisão temporária e 15 mandados de busca e apreensão, expedidos pelo juiz Edmilson Pimenta da 3ª Vara da Justiça Federal em Sergipe. A quadrilha que fraudava leilões tinha como líder e articulador o empresário do ramo automotivo José Paixão de Jesus Filho. Dois dos envolvidos podem ser soltos nas próximas horas.

De acordo com o superintendente da PF, José Grinaldo de Andrade, as investigações foram iniciadas há 18 meses. “A Polícia Federal tem uma preocupação com a qualidade. Nós não estamos prendendo por prender. As prisões passaram pelo crivo do Ministério Público e são decretadas pela Justiça. A Justiça Federal fez a denúncia e solicitou à Polícia Federal que fizesse as investigações. Dois dos presos deverão ser postos em liberdade nas próximas horas, porque após os depoimentos, se concluiu que não precisam ficar presos”, ressalta José Grinaldo, acrescentando que foram feitas filmagens, interpelações telefônicas e que foram feitas buscas e apreensões nas residências.

O procurador Paulo Guedes explicou que o esquema se dava de várias formas. “Tudo o que foi feito até agora foi com a ajuda da Polícia Federal, que agiu de forma efetiva e com muita tranquilidade durante um ano e meio de investigações complexas que precisam ser esclarecidas com tranquilidade. Os integrantes da quadrilha usavam vários mecanismos, muitos bastante complicados”, afirma.

Segundo ele, a quadrilha participou de oito leilões da Justiça. “Eram atitudes fraudulentas. Muitas intimidavam os participantes dos leilões para que desistissem, em alguns casos, faziam subornos. As filmagens mostram os integrantes da quadrilha saindo para negociar, eram vários mecanismos. Por exemplo: um bem que estava avaliado em R$ 5, 5 milhões, eles ofereciam R$ 1 milhão para alguém que percebesse que daria um lance maior, para que desistisse e arrematavam por menos. A quadrilha atuava sempre com o mesmo objetivo: arrecadar o bem pelo menor valor pedido. Era prejudicial para a Justiça essa atuação”, destaca o procurador Paulo Guedes.

Fraude

O esquema chegou a envolver cerca de R$ 35 milhões somente nos leilões da Justiça Federal e do Tribunal Regional do Trabalho. Nos demais órgãos como Justiça do Estado de Sergipe, da Secretaria de Estado da Administração, da Companhia de Desenvolvimento de Recursos Hídricos e Irrigação de Sergipe, dos municípios de Pirambu, Estância e Lagarto, entre outras instituições, a fraude também foi de valores consideráveis. Pelo menos R$ 8 milhões foram fraudados pelo grupo.

“Eram lesados tanto os credores, quanto os devedores da empresa. O prejuízo é grande para as partes dos processos judicias que muitas vezes não arrecadaram quanto valiam esses bens. E para o erário público, pois as execuções são pela Fazenda Pública, que pode ter sido lesada”, explica o procurador.

Cancelamento

Na coletiva, tanto o superintendente da Polícia Federal quanto o procurador do Ministério Público Federal disseram que os leilões em que houve a confirmação da fraude podem ser cancelados. Indagados pela reportagem do Portal Infonet, como haverá o ressarcimento, Paulo Guedes disse que cabe à Justiça definir.

Envolvidos

Das 16 pessoas acusadas de envolvimento na quadrilha, seis são empresários: Paulo Afonso Costa Viana, Cláudio Luiz da Silva, que é corretor, Geraldo Soares Dias, proprietário de imobiliária, Ângelo Ernesto Ehl Barbosa, que seria esposo de uma procuradora Geral do Estado, Álvaro José Nunes de Castro [este será solto ainda hoje] e Thiago Prado de Castro Lima, que não foi revelado o seu ramo de atuação.

E ainda os leiloeiros Edrovaldo de Carvalho Santos, o advogado Carlos Augusto Santos Fiel e o bancário Ezequiel Oliveira Santos [que também será solto nas próximas horas]. Os demais são pessoas que vivem da compra e venda e da participação em leilões. Indagado pela imprensa qual a participação do empresário Geraldo Soares, Paulo Guedes explicou que foram gravadas ligações telefônicas entre ele e os integrantes da quadrilha.

Pena

Os envolvidos serão enquadrados nos artigos 288, 299, 333 e 358 do Código Penal, na Lei 8. 669/93, artigos 93 e 95 e Lei de Sonegação Fiscal, artigo segundo e artigo primeiro da Lei 8. 137. “São crimes de fraude, formação de quadrilha, corrupção passiva e ativa, constrangimento, de sonegação fiscal e até de lavagem de dinheiro”, diz o procurador.

Os advogados Carlos Augusto Santos Fiel e Geraldo Soares, estão presos em uma delegacia por terem curso superior. Os demais foram levados para o Presídio de Segurança Máxima do bairro Santa Maria, após passarem por exames de Corpo de Delito no Instituto Médico Legal (IML).

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 1934 vezes




Comentários


Autor e data do comentário: maria angélica - 05/05/2011 23:18

tive o meu apartamento tomado de forma muito estupida pelo dono da imobiliaria DECIDE IMOBILIARIA( SERGIO).policial e segurança foram lá erão 8 ao todos armados com pé de cabra, invadiram com nós dentro, meu pai inclusive na cadeira de roda vitima de avc, arrombaram a porta do quarto para arrombar chegou a furar o braço do meu irmão e o advogado de sergio o dono da imobiliaria (DECIDE IMOBILIARIA) e jogou uma pedra quebrou o vidro da janela e machucou a menor q eatava no quarto, entrou no quarto agredindo meu irmão violentamente, esses 8 homens pegaram nossos moveis , televisão etc... jogaram no relento na chuva e agente sem nada poder fazer só olhando, agiram exatamente no feriado da semana santa e nada podiamos fazer. chamamos o iml para fazer o corpo delito das pessoas e ficarão machucadas e ver as condições do apartamento e muito mais. e até hj não houve resposta de nenhum orgão por onde passamos e denunciamos.

preciso ter algum contato, pois no momento estou longe e preciso denunciar o meu caso. tenho detalhes do q aconteceu e como, com denuncias ao ministerio publico,ouvidoria de policia etc....

em fim estou com uma grande esperança de ter meu apartamento de volta , pois a muito tempo essa quadrilha existe. me ajudem em informações ou me encaminhe com urgencia para algum orgão copetente.

meus contato extras:(ANGÉLICA)(81)99079190
(DAYSE) 36191193



O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal