Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


ÚLTIMOS TREINAMENTOS DE 2017 SOBRE FRAUDES e DOCUMENTOSCOPIA

Veja aqui a programação dos últimos treinamentos sobre Falsificações e Fraudes Documentais (16/11) e sobre Prevenção e Combate a Fraudes em Empresas (30/11).

Acompanhe nosso Twitter

03/05/2011 - O Documento Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Ex-secretário e empresa são multados em R$ 115 mil por fraudes em policlínica


O ex-secretário estadual de Infraestrutura, Vilceu Francisco Marchetti, e o sócio-proprietário da empresa Sisan Engenharia Ltda, Cezário Siqueira Gonçalves Neto, foram condenados pelo Tribunal de Contas de Mato Grosso a restituírem, solidariamente, a importância de R$ 80.804,00, equivalente a 2.320,64 UPFs, por irregularidades na realização das obras de uma “Policlínica de Pronto Atendimento de Urgência” na cidade de Diamantino. O ex-gestor e o empresário também foram multados cada um em 1.000 UPFs, equivalentes a R$ 34.820,00.

A glosa e as multas foram arbitradas no julgamento do processo de representação interna proposto pela Secretaria de Controle Externo de Obras e Serviços de Engenharia (Secex-Obras), relatado pelo conselheiro José Carlos Novelli na sessão plenária desta terça-feira (03/05). A decisão foi por unanimidade e o voto do relator foi muito elogiado em plenário pelos demais conselheiros, notadamente porque o Tribunal de Contas, na análise da matéria, também responsabilizou a empresa contratada - e não apenas o gestor – e determinou providências administrativas contra servidores que deveriam atuar como fiscais.

De acordo com o relator, pela análise do processo percebe-se facilmente o caos administrativo que foi o andamento e o acompanhamento das obras da policlínica, ficando evidenciado desleixo, falta de fiscalização, pagamento a maior, atestamento de serviços não realizados para efeito de pagamento, não conclusão da obra dentro do prazo etc.

A obra

Orçadas em R$ 709 mil, as obras da policlínica foram iniciadas em 28 de julho de 2004, com prazo previsto de 180 dias para a sua conclusão. O termo de rescisão entre a empresa e a SINFRA somente ocorreu três anos após o início, com custo final de R$ 861.755,74 (aditamento de 21,85%). Nesse ponto, a obra estaria com 97,29% dos serviços executados, conforme dados da SINFRA. Entretanto, para a conclusão da Policlínica, foi necessário lavrar novo convênio, agora entre a Prefeitura Municipal e a Secretaria Estadual de Saúde, no valor de R$ 303.949,05.

Os auditores da Secex-Obras constataram que, na verdade, as obras não estavam executadas como declarado no processo, ou seja, a SINFRA atestou o recebimento de 100% das esquadrias, 95% das pinturas, 98% das instalações elétricas e 98% das instalações hidráulicas. A vistoria apurou uma situação bem diferente, inclusive que o novo convênio foi assinado entre a Prefeitura e a SES exatamente para executar os serviços de elétrica e de hidráulica.

Além de penalizar o ex-secretário e o empresário, o TCE determinou ao atual secretário de Estado responsável pela antiga SINFRA (atual Secretaria de Transporte), a instauração de procedimento disciplinar em desfavor dos servidores públicos responsáveis pela medição rescisória e que atestaram a prestação dos serviços. A SINFRA tem 90 dias para informar ao TCE o resultado dessas providências.

Da mesma forma, cópia de todo o processado será encaminhado para o Ministério Público Estadual, para as providências cabíveis.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 226 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal