Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


ÚLTIMOS TREINAMENTOS DE 2017 SOBRE FRAUDES e DOCUMENTOSCOPIA

Veja aqui a programação dos últimos treinamentos sobre Falsificações e Fraudes Documentais (16/11) e sobre Prevenção e Combate a Fraudes em Empresas (30/11).

Acompanhe nosso Twitter

29/04/2011 - ES Hoje Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Falsa corretora vendia imóvel em Jardim Camburi para várias pessoas

Por: Juliana Mota

Com dinheiro de crimes ela mantinha uma mansão na Mata da Praia.

O sonho de ter a casa própria tornou-se pesadelo para as cinco vitimas da corretora de imóveis Luizianny Cristini Coelho Gomes, 36 anos, presa nesta sexta-feira (29), em Vitória. A acusada de estelionato agia no bairro Jardim Camburi vendendo os mesmos apartamentos para mais de uma pessoa.

Luizianny foi presa em sua mansão na Mata da Praia, próxima a Pedra da Cebola. Ela atuava como corretora de um empreendimento em Jardim Camburi, onde vendeu diversos apartamento. Segundo o delegado João Batista Calmon, da Delegacia da Praia do Canto, na capital, só um apartamento foi vendido para três pessoas diferentes. "Este apartamento foi vendido pela primeira vez em 2009 para um aposentado, depois para um casal mineiro e, por ultimo, para um tecnico em manutenção". Só nesses três golpes a estelionatária conseguiu arrecadar mais de R$ 230 mil.

Segundo o delegado a acusada conseguia seus clientes através de anúncios em classificados em jornais. Ela se apresentava como corretora de imóveis e proprietária para conseguir vende-los.

Existe a suspeita de que a golpista realizava o crime para angariar recusros e pagar a casa de luxo que adquiriu na Mata da Praia. A casa que ela comprou, em dezembro do ano passado, está avaliada em R$ 1,2 milhão, e ela comprou por R$ 900.000 mil. "O marido diz que ela começou a aplicar os golpes para poder pagar a casa", disse o delegado.

A acusada é natural de Belem do Pará, e, segundo Calmon, na sua cidade natal ela já havia sofrido condenação por um crime similar ao praticado no ES. "Ela foi condenada a pagar R$53.000 mil reaia a um rapaz a quem ela enganou com um golpe parecido com o aplicado aqui", disse o policial. Luizianny assumiu os crimes em depoimento e teve sua prisão preventiva decretada. Ela irá responder por dois crimes: falsificação de documentos particulares e estelionato.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 585 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal