Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


ÚLTIMOS TREINAMENTOS DE 2017 SOBRE FRAUDES e DOCUMENTOSCOPIA

Veja aqui a programação dos últimos treinamentos sobre Falsificações e Fraudes Documentais (16/11) e sobre Prevenção e Combate a Fraudes em Empresas (30/11).

Acompanhe nosso Twitter

14/04/2011 - Zero Hora Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

Demitida servidora do INSS investigada por estelionato e extorsão de idosos em Santa Rosa

Por: Maristani Weiand

Existem provas de fornecimento ilegal de benefícios do INSS para brasileiros e argentinos.

A servidora pública Clair Gluslak foi demitida do INSS de Santa Rosa nessa quarta-feira. Em outubro de 2008, ela chegou a ser presa por formação de quadrilha, estelionato e extorsão de idosos.

A demissão da técnica do Seguro Social foi publicada no Diário Oficial. Clair Maria Glukslak, que trabalhou até a terça-feira no Instituto Nacional de Previdência Social, cometeu a infração administrativa de valer-se do cargo para lograr proveito pessoal. Ela foi presa em flagrante no dia 16 de outubro de 2008 e responde processo administrativo e criminal. O caso está com o Ministério Público Federal que analisa o inquérito sobre a fraude contra o INSS e idosos.

Existem provas de fornecimento ilegal de benefícios do INSS para brasileiros e argentinos. Nove pessoas estão envolvidas no esquema. Clair seria a chefe da quadrilha. O inquérito aponta crimes por formação de quadrilha, inserção de dados falsos em Sistema de Informação, estelionato previdenciário, extorsão indireta de idosos, constrangimento ilegal de idosos, falsificação de documento público, falsificação de documento particular,falsidade ideológica e corrupção de menor, já que o filho de Clair era usado para fazer os saques do dinheiro dos beneficiados.

Como os investigados estão soltos, os investigados estão soltos, não há prazo determinado para a conclusão. Quando houver a denúncia do Ministério Público Federal, o processo é encaminhado para a Justiça Federal que segue o processo, com interrogatório, defesa dos réus e depoimento de testemunhas.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 278 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal