Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


ÚLTIMOS TREINAMENTOS DE 2017 SOBRE FRAUDES e DOCUMENTOSCOPIA

Veja aqui a programação dos últimos treinamentos sobre Falsificações e Fraudes Documentais (16/11) e sobre Prevenção e Combate a Fraudes em Empresas (30/11).

Acompanhe nosso Twitter

06/04/2011 - Diário de Cuiabá Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

PF prende empresário

Por: Carolina Holland

Operação Deja Vu II, realizada em 4 estados contra desvio de recursos públicos da segurança, teve um dos alvos em Cuiabá.

Um empresário foi preso em Cuiabá durante a Operação Deja Vu II, da Polícia Federal, que investiga desvio de recursos públicos por meio de Organizações da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscips). Foram cumpridos 16 mandados de prisão e 33 mandados de busca e apreensão em Mato Grosso, Santa Catarina, Acre e Distrito Federal. A operação foi realizada em conjunto com a Controladoria Geral da União e a Receita Federal.

O presidente da Oscip Adesco (Agência de Desenvolvimento Econômico e Social do Centro Oeste), com sede no bairro Planalto, em Cuiabá, foi preso ontem de manhã por policiais federais. A PF não forneceu o nome do acusado. Na instituição foram apreendidos documentos e cinco computadores. A Adesco presta serviços de assessoria administrativa, financeira, ação social e de saúde em contratos com prefeituras do interior de Mato Grosso e nos estados do Acre e Paraná. A reportagem ligou diversas vezes para a sede da empresa, mas ninguém atendeu.

Os mandados de prisão e de busca e apreensão foram expedidos pela 2ª Vara Criminal Federal de Curitiba no final do ano passado. Participaram da operação 150 policiais federais, 30 agentes da Controladoria Geral da União e 20 servidores da Receita Federal.

De acordo com a PF, parte dos recursos recebidos pelas Oscips era desviada para seus dirigentes, empregados e também beneficiava terceiros. Os recursos eram do Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania, do Ministério da Justiça. A PF estipula que o esquema teria desviado R$ 11 milhões. As falsificações teriam sido empregadas mesmo durante a fiscalização realizada pela CGU. Ainda não há valor exato dos prejuízos ao erário em Mato Grosso.

O desvio era feito por simulação de despesas com serviços de empresas de consultoria. Essas firmas seriam controladas por parentes dos dirigentes, dos empregados ou outras pessoas. Também há indícios de falsificação de contratos, notas fiscais, relatórios de serviços e relatórios dos auditores independentes, além de superfaturamento de serviços médicos, cobrança de valores excessivos a título de taxa de administração e utilização de recursos públicos para despesas e aquisição de material permanente na sede das Oscips.

Entre 2006 e 2009, uma das instituições investigadas firmou contratos com os municípios de Araucária, Cafelândia, Campo Largo, Cascavel, Céu Azul, Colombo, Curitiba, Itaipulândia, Lapa, Missal, Pinhais, Piraquara e São José dos Pinhais, todos no Paraná, com valor aproximado de R$ 22 milhões. Outra oscip assinou contratos entre 2003 e 2006 com Curitiba, Itaipulândia, Mercedes, Ouro Verde do Oeste, Palotina, Pato Bragado, Santa Helena, Santa Terezinha do Itaipu, São José dos Pinhais, São Miguel do Iguaçu e São Pedro do Iguaçu, todos também no Paraná. Os convênios são de R$ 65 milhões.

Os acusados vão responder por peculato, associação criminosa e lavagem de dinheiro, entre outros.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 366 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Patrocínios




NSC / LSI
Copyright © 1999-2017 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal