Monitor das Fraudes - O primeiro site lusófono sobre combate a fraudes, lavagem de dinheiro e corrupção
Monitor das Fraudes

>> Visite o resto do site e leia nossas matérias <<

CLIPPING DE NOTÍCIAS


ÚLTIMOS TREINAMENTOS DE 2018 SOBRE FRAUDES E FALSIFICAÇÕES
Veja AQUI programação e promoções dos últimos treinamentos de 2018 da DEALL R&I
sobre Fraudes e Falsificações nos dias 14, 22 e 29 de novembro.


AFD SUMMIT
A maior Conferência de Investigação Corporativa & Perícia Forense da América Latina.
São Paulo dias 08-09 de dezembro de 2018


Acompanhe nosso Twitter

06/04/2011 - O Estado de São Paulo / Ag. Estado Escrever Comentário Enviar Notícia por e-mail Feed RSS

PF prende acusados de desviar recursos federais

Por: Vannildo Mendes


A Polícia Federal desmantelou hoje, com a operação Déjà-Vú 2, um esquema de desvio de recursos do Programa Nacional de Segurança com Cidadania (Pronasci), por meio de duas Organizações da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscips). Ao longo do dia, foram presas 16 pessoas e realizadas 33 diligências para buscas e apreensões no Paraná, sede das Oscips, em Brasília e outros três Estados. Pelo menos R$ 11 milhões foram desviados em três anos de ação da quadrilha.

Com orçamento anual de R$ 1,6 bilhão, o Pronasci é o principal programa federal da área de segurança pública e consome mais da metade dos investimentos do Ministério da Justiça. Entre os presos, estão dois funcionários da própria Pasta, que ajudariam a quadrilha nas fraudes, além de dirigentes e funcionários das duas Oscips - a Agência de Desenvolvimento Educacional e Social Brasileiro (Adesobras) e Instituto Brasileiro de Integração e Desenvolvimento Pró-Cidadão (Ibidec).

Cadastradas para aplicar recursos públicos em projetos nas áreas de saúde, educação e segurança, por meio de parceria com prefeituras e ministérios, as duas entidades, conforme as investigações, desviavam parte do dinheiro para seus dirigentes, empregados e terceiros ligados ao esquema. As fraudes consistiam na simulação de contratos de prestação de serviços com empresas de consultoria, que usavam notas fiscais frias. Essas empresas também eram controladas por parentes dos dirigentes das Oscips ou empregados.

Página principal do Clipping   Escreva um Comentário   Enviar Notícia por e-mail a um Amigo
Notícia lida 134 vezes




Comentários


Nenhum comentário até o momento

Seja o primeiro a escrever um Comentário


O artigo aqui reproduzido é de exclusiva responsabilidade do relativo autor e/ou do órgão de imprensa que o publicou (indicados na topo da página) e que detém todos os direitos. Os comentários publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores. O site "Monitor das Fraudes" e seus administradores, autores e demais colaboradores, não avalizam as informações contidas neste artigo e/ou nos comentários publicados, nem se responsabilizam por elas.


Divulgação





NSC / LSI
Copyright © 1999-2018 - Todos os direitos reservados. Eventos | Humor | Mapa do Site | Contatos | Aviso Legal | Principal